UM POUCO DE NOSSA LOJA

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

SAIBA A DIFERENÇA DOS TIPOS DE BOMBAS PARA CALIBRAR PNEUS



Acessório indispensável para lhe acompanhar durante as pedaladas, a bomba de encher pneus é o tipo de coisa que possui muitas variações, tanto na questão funcional quanto financeira.
Sabendo dessas diferenças e pensando em ajudar quem não tem muito conhecimento sobre o assunto, vamos refutar alguns mitos, concretizar as verdades sobre esse acessório e tentar ajudar você a escolher o tipo de bomba mais adequado para o uso.
Primeiramente, gostaria de abordar um assunto que é bastante intrigante quando se trata da pressão dos pneus. Com certeza você já passou pela situação seguinte: você chega num posto de combustíveis para encher o pneu da sua magrela, põem 50, 60 ou ate 130 libras no manômetro da bomba e chega o “tiozinho” que está esperando para usar a bomba lhe perguntando assustado:
-Nossa! Mas tem certeza que vai caber tudo isso de ar nesse pneuzinho aí?! Como pode? No meu carro são só 35!!!
O que acontece é que o volume de ar é bem diferente da pressão. Volume seria a quantidade de ar que vai estar dentro da câmara e é lógico que em câmaras maiores (MTB) vai caber muito mais ar do que nas menores (speed) porém, para a pressão se aplica uma relação inversa, ou seja, quanto maior a câmara menor será a pressão exigida para tal quantidade de ar, e vice versa. Então o que acontece nos pneus mais finos é que eles realmente possuem uma pressão (medida em PSI) muito maior se comparados com pneus mais largos porém, estão com menos ar dentro deles.
Sabendo disso, já descobrimos que algumas bombas (as mais simples) não são capazes de encher os pneus das road bikes, pois precisam de uma pressão maior do que a bomba oferece. Logo, a primeira coisa a definir é quanto ao uso, se vai ser para baixas ou altas pressões.
Outra diferença para observar durante a compra é quanto ao material da bomba. Hoje no mercado existem 3 tipos mais encontrados: as de plástico, as de alumínio e as de carbono. Acredito que para a escolha certa você deve avaliar quantas vezes por mês você irá utilizá-la. Se você faz pouquíssimo uso, ou seja, 1 vez por mês ou até menos, você deve optar pela de plástico. Já se você mantém um uso freqüente as de alumínio lhe trarão um melhor custo benefício. As bombas de carbono é pra quem quer fazer muito menos esforço e também ter um material bem leve e muito resistente.
 Mais uma peculiaridade das bombas é quanto ao tamanho do “braço” em que vai ser exercida a pressão. Bombas com maior braço, as chamadas telescópicas, são muito mais fáceis de encher os pneus do que as com braço curto. Às vezes além de a bomba ser telescópica ela também pode ser “dual”, ou seja, enche quando você estica o braço dela e quando você o comprime.
A última porém, não menos importante característica relevante é quanto ao manômetro. Na minha opinião, TODAS as bombas devem possuir manômetro (visor que indica a pressão inserida), pois é muito comum pessoas danificarem pneus ou até mesmo estourarem suas câmaras botando uma pressão inadequada. Vale lembrar também que não existe fórmula mágica para descobrir em que pressão o seu pneu trabalha, basta olhar nele próprio que vai estar grafado a pressão mínima e máxima recomendada na sua banda lateral.

Alguns tipos de bombas de oficina e portáteis disponíveis no mercado:
Bomba oficina plástica sem manômetro

Bomba portátil plástica
                                   

Bomba oficina de alumínio com manômetro
                                  

Bomba de quadro telescópica com opção para calibrar suspensões a ar

Bomba portátil em carbono

Bomba de oficina em carbono com manômetro digital 


*Lembre-se sempre que devemos manter cuidados com as bombas quanto ao local de armazenamento, lubrificação da parte interna, barro, água e sujeiras durante uma trilha para as bombas de quadro, e etc.
*99% das bombas vendidas vem com os dois tipos mais comuns de válvulas das câmaras, presta, mais conhecida como válvula fina e schrader, mais conhecida como válvula grossa, porém sempre é bom perguntar para o vendedor se ela realmente possui as duas opções e como se faz a inversão do bico.
*Sempre que possível NÃO ENCHA SEUS PNEUS NO POSTO DE COMBUSTÍVEIS. Na maioria dos casos essas bombas não tem uma precisão boa e isso pode acabar danificando a câmara ou o pneu da sua magrela.





quarta-feira, 10 de agosto de 2016

PORTO ALEGRE TEM VÁRIOS GRUPOS CICLÍSTICOS. MAS, DE QUAL PARTICIPAR?

Em porto alegre, hoje, existem muitos grupos de ciclismo que se reúnem em diferentes lugares para fazer passeios/treinos de bicicleta pela cidade.  Muitos clientes nos perguntam sobre estes grupos, pois querem alguma companhia para se exercitarem mas não conhecem ninguém. Outros tem medo de se juntarem com os tais grupos porque acham que vão ficar pra trás, não vão conseguir acompanhar o ritmo. Pensando em ajudar a todos , nós da Rodociclo resolvemos fazer um apanhado sobre estes grupos e lhe informar quanto  ao ritmo, distância, locais e horários de partida para que você se junte ao grupo mais adequado de acordo com seu ritmo de pedalada.

Pedal ecoville PEV – O pev é um passeio para fazer bastantes amizades e, lógico, pedalar. Acontece nas segundas-feiras e tem como ponto de encontro o shopping lindóia (assis brasil, 3522) as 20:30. É um pedal indicado para iniciantes, pois tem ritmo leve.


Pedalegre – O pedalegre é um grupo de passeio bem descontraído que acontece todas as terças e quintas-feiras, as 20:30 com saída do velódromo de porto alegre, av ipiranga com av beira rio. O ritmo é próprio para iniciantes e a  distância media fica em 25 kilometros.



Pedal zona norte PZN – O pedal zona norte acontece todas as terças e quintas-feiras, as 20:30, saindo do viaduto Jayme Caetano Braum (av. nilo peçanha com carlos gomes). Ritmo moderado e distância média de 30 kilometros.
Nas quartas-feiras o pedal é mais tranquilo, ou seja, indicado para iniciantes e sai do posto BR do iguatemi (av tulio de rose). Tem um ritmo leve e distância média de 25 kilometros



Pedal zona sul PZS – Terças-feiras as 20:30 saindo do posto BR da av. diário de noitícias, 1475. Ritmo acelerado (não aconselhado para iniciantes) e distância média de 40 kilometros.
Quintas-feiras as 20:30 saindo da av. wenceslau escobar, 2307. Ritmo moderado e distância média de 25 kilometros.
Domingos as 07:30 com saída do gasômetro e destino à fruteira do kiko, edgar pires de castro, 8475. Ritmo tranquilo e distância de 50 kilometros.


Treino do harmonia - O objetivo deste grupo não é agregar um grande número de ciclistas, bem pelo contrário, apenas aqueles que queiram sair de casa para treinar forte, pois como o nome já diz é treino, não é passeio, portanto, sem paradas. Os pedais noturnos na cidade terão um trajeto fixo, permitindo que aqueles que ficarem para atrás possam encontrar o grupo quando estiver retornando e juntar-se a ele novamente. O horário de partida é pontualmente às 20h, terças e quintas, na rótula das cuias. A velocidade normalmente fica acima de 30 km/h. Trajeto sempre fixo, um nas terças e outro nas quintas. Os ciclistas que quiserem, podem encontrar o grupo no caminho.

Treino do caldo - O treino do caldo é uma reunião de ciclistas amigos com objetivo de treinar. O pedal sai todos os domingos do posto piratini (av. Assis brasil, 6389) no bairro sarandi, as 8:00 horas, vai até o kioske do kiko, edgar pires de castro, 8475 e retorna pro posto que tem em frente à fiergs.

Massa critica - A massa crítica é um passeio ciclístico um pouco diferente dos outros. Ele faz a celebração da bicicleta como meio de transporte e é um evento de protesto por mais espaço e respeito no trânsito. Ocorre toda última sexta feira do mês e parte as 19:30 do largo zumbi dos palmares, na cidade baixa. O movimento é organizado de forma horizontal, totalmente colaborativo e é o momento onde ciclistas se encontram pra pedalar pelas ruas da cidade de maneira bem descontraída e num ritmo bem leve.


Agora que você já sabe qual grupo ciclístico irá acompanhar, lembre-se sempre de portar um kit básico para sua segurança e para não atrapalhar o passeio de ninguém. O que você deve portar SEMPRE é: capacete, luva, luz traseira, luz dianteira, uma câmara reserva, uma bomba de encher pneus e um kit de remendo. Agora é só ir pra rua e aproveitar o passeio!


quinta-feira, 4 de agosto de 2016

CONFIRA O CALENDÁRIO DO CICLISMO PROS JOGOS OLÍMPICOS RIO 2016

As Olimpíadas, ou Jogos Olímpicos, constituem nos dias de hoje um dos eventos mais populares e prestigiados em todo o mundo. Essa popularidade e prestígio devem-se à grande conexão que as Olimpíadas têm com a massa de espectadores que acompanham as competições tanto presencialmente nos estádios e arenas quanto pela televisão.



Os Jogos tiveram a sua primeira edição na Era Moderna, em 1896, em Atenas, e de lá até hoje cresceram ao ponto de se transformarem no maior evento do planeta e único capaz de reunir delegações de mais de 200 países em uma mesma cidade. Para se ter uma ideia da força dos Jogos na atualidade, nem mesmo a Organização das Nações Unidas (ONU) consegue agregar tantas nações como parceiras.



Então, neste mês de agosto teremos os famosos Jogos Olímpicos que, excepcionalmente, acontecerão no nosso lindo estado do Rio de Janeiro, iniciando nesta sexta-feira dia 05/08 e se estendendo até o dia 21/08, quando acontece a cerimônia de encerramento.

O evento contará com a presença de 205 países e 11383 atletas que estarão divididos nas 42 modalidades em disputa, dentre elas, 4 de ciclismo (BMX, de estrada, de pista e mountainbike). Com isso, tem muita gente ansiosa para saber o calendário das provas de ciclismo, então confira agora a organização de dias e horários que nós fizemos pra você não perder nenhuma prova:


BMX
Nos jogos olímpicos a competição de BMX é disputada no formato ‘supercross’ com 8 ciclistas por bateria vendo quem cruza primeiro a linha de chegada. A pista tem, em média, 350 metros de extensão e terreno com muitos obstáculos num chão de terra, e para sua largada os pilotos iniciam de cima de uma rampa de 8 metros para pegar bastante velocidade.



MTB

Em terrenos acidentados os ciclistas devem se adaptar rapidamente às diferentes situações do circuito, que é fechado e repleto de trilhas sinuosas, subidas e descidas ingremes além, é claro, de muitos obstáculos naturais como pedras e raízes. A duração da prova varia de 90 a 120 minutos e cada volta tem 5km de extensão.



ESTRADA
O ciclismo de estrada irá unir as belezas naturais do Rio de Janeiro com um trajeto duro e seletivo (141km no feminino e 241,5km no masculino), pré-determinado, em que os ciclistas são classificados em razão do menor tempo.


PISTA
Esta é a única modalidade que compete num velódromo. Ele é oval, de madeira e tem 250 metros de extensão. Os atletas pilotam bicicletas muito leves, com engrenagem fixa e sem freios e chegam a velocidades de mais de 60km/h.



terça-feira, 2 de agosto de 2016

FROOME CONSAGRA SEU TRI CAMPEONATO NA TOUR DE FRANCE



Após 23 longos dias de prova com mais de dois mil quilômetros rodados e quase noventa horas no total pedalando, o britânico Christopher Froome, da equipe SKY, que já estava praticamente consagrado como campeão, confirmou seu terceiro campeonato no ‘Tour de France’, sendo o segundo consecutivo. “Eu não estaria aqui se não fosse por minha equipe. Um grande obrigado a Dave Brailsford e a meu treinador Tim Kerrison. Essa é uma equipe especial e eu estou muito orgulhoso de fazer parte dela. Para Michelle, minha esposa, e meu filho Kellen, saibam que seu amor e apoio tornam tudo possível. Kellan, dedico essa vitória a você“, foi o que disse Froome emocionado após vencer o Tour.



Chris vestiu a camisa amarela (respectiva ao ciclista com melhor tempo no geral) logo nas primeiras etapas e não a perdeu mais. Na etapa de domingo, 24 de julho, nem precisou se esforçar, pois já estava com bastante tempo de diferença dos outros competidores e acabou vencendo o Tour com 04 minutos e 05 segundos sobre o segundo colocado, o francês Romain Bardet da equipe La Mondiale.

A última etapa, que é chamada de Champs Élysées, ocorreu na capital francesa e contou com forte esquema de segurança, pois autoridades ainda temiam ataques terroristas durante o espetáculo. A etapa é mais vista como um desfile do que uma disputa, já que há o consenso de não atacar o líder geral ao longo dos seus 113 quilômetros de extensão. Porém, para os sprinters, é a chance de mostrar que ainda possuem força e darem tudo de si para cruzar a linha de chegada em primeiro lugar.

E foi justamente o que aconteceu entre André Greipel e Peter Sagan, uma disputa acirradíssima com a Lotto fazendo um trabalho perfeito de embalo para a vitória de André, que cruzou a linha de chegada menos de meio segundo antes de Sagan, que vinha numa bela aceleração. Mesmo assim, foi Sagan quem se consagrou campeão da camisa verde (do atleta mais combatente), pois ao longo das provas não deu mole pra quem o desafiava.




Os demais campeões ficaram definidos com Adam Yates (Orica-BikeExchange) sendo o melhor entre os jovens, Rafal Majka (Tinkoff) sendo o melhor escalador e a Movistar que foi a campeã dentre as equipes.

sábado, 23 de julho de 2016

TOUR DE FRANCE 2016: FROOME LIDERA E CHEGA EM PARIS COM A CAMISA AMARELA!



O Tour de France 2016 foi e ainda está sendo, como sempre, uma prova muito emocionante, digna de atletas de alto nível que figuram no palco da prova mais prestigiada do mundo. E também, uma das mais duras. Atuando com o papel principal estavam os favoritos, em um jogo onde os "coadjuvantes", aqui chamados gregários, que não têm seu nome tão prestigiado, mas são igualmente importantes, tendo a missão de levar as estrelas em condições e segurança aos pontos estratégicos onde mostrarão sua força. 

Alberto Contador e Chris Froome eram dois dos principais astros da prova em um mundo de muitas estrelas. O embate destes dois é que gerava mais dúvidas. Vincenzo Nibali, atualmente na 30ª colocação, já chegou ao Tour com sua temporada ganha ao faturar o Giro. E seu resultado atual era esperado, uma vez que dificilmente conseguiria estar em condições de participar no mesmo nível dos outros favoritos após o grande esforço da prova italiana. 

Na Movistar, o regular Alejandro Valverde trabalharia para o forte Nairo Quintana, colombiano que já ganhou o Giro D'Itália. Nomes como Joaquin Rodriguez, Bauke Mollema, Fabio Aru, Roman Kreuziger, Richie Porte, entre outros, poderiam "incomodar". Todos estes figuram entre os promeiros 20 primeiros lugares. 

Mas logo no começo, quedas foram prejudicando Contador que acabou abandonando a prova, para decepção dos seus fãs e também dele mesmo, que tomou essa decisão no meio de uma etapa e abandonou bastante abatido, deixando o caminho livre para seu maior rival Froome.


Mas nem tudo é assim tão previsível no Tour. Mark Cavendish venceu a primeira etapa, enquanto que na segunda, Sagan venceu para vestir a camisa amarela. Nada mal para quem usa a camisa Arco-íris de campeão mundial. Sagan, atual camisa verde, mostra que a suporta "maldição" que cerca o campeão mundial e o impede de vencer ao longo da temporada não o afetou. Foi sua primeira camisa amarela. No terceiro dia foi a vez de Cavendish vencer novamente, igualando a marca de Bernard Hinault, com 28 vitórias na carreira, em uma chegada muito apertada ao lado de Andre Greipel. Na quarta etapa foi a vez de Kittel, que desabou após a chegada devido ao extremo esforço. Antes da terceira vitória de Casvendish, que ocorreu na sexta etapa, a camisa amarela passou pelas mãos de Van Avermaet. 

O primeiro confronto dos favoritos foi na Etapa Rainha, que subiu o duro Tourmalet, onde Froome vestiu a camisa amarela pela primeira vez no Tour, após ser o vencedor do dia, abrindo boa vantagem para Contador, que abandonaria na etapa seguinte após apresentar febre e não ter condições de seguir. As quedas e lesões provenientes de quedas contribuíram com a decisão de abandonar. 


Na décima etapa, uma chegada incomum, com Sagan vencendo no sprint seguido de Froome, que com isso ganhou um bônus e aumentou a vantagem sobre os demais. A décima segunda etapa, que subiria o icônico Mont Ventoux foi "encurtada" devido aos fortes ventos na montanha, que comprometiam a segurança dos competidores. Foi nessa etapa que De Gendt venceu e Froome teve que correr a pé até conseguir uma bike reserva após uma queda muito confusa, onde ele e mais dois atletas foram atingidos por uma motocicleta da televisão.



A 13ª etapa foi vencida por Tom Dumoulin, com Froome em segundo, mantendo a camisa amarela, às vésperas de Cavendish conquistar a quarta vitória (14ª etapa). Na 18ª etapa, mais uma chegada polêmica, com Sagan sendo apontado como vencedor (terceira vitória na prova) no photo-finish. 



As etapas seguintes foram servindo para o Camisa Amarela aumentar sua vantagem até vencer a Cronoescalada da 18ª etapa e se firmar ainda mais como franco-favorito. Desde então Froome, que sofreu com uma dura queda na 19ª etapa, declarou que o Tour só é vencido quando se cruza a linha de chegada da última etapa. 



Neste domingo o esquema de segurança é forte. A chegada em Paris sempre é muito bela e deve ser decidida no Sprint. É o último grande esforço de Froome que tem uma confortável vantagem de 4:05  sobre Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale. O capitão da Sky já é, virtualmente, o grande campeão. Basta saber agora quem será o grande vencedor do Sprint Final no Champs-Élysées, que terá forte esquema de segurança para garantir que tudo correrá bem na chegada da prova. Se vencer, Froome estrá se consagrando tricampeão da maior prova do ciclismo mundial!

Equipe Rodociclo


quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

RODOCICLO INAUGURA NOVA FILIAL EM ITAJAÍ/SC




Esta é a primeira postagem do ano do Blog Rodociclo. E ela começa de uma forma muito especial, em meio a tantas notícias ruins, já que nosso país vive um momento de recessão, em grande parte, devido à retração no consumo registrada nos últimos meses, crise política e outros acontecimentos. Nós temos, realmente, boas notícias para nossos leitores, amigos e clientes!




E se vivemos um momento econômico complicado, onde o cenário político também não é dos mais favoráveis, o que podemos dizer é que, como tantos outros momentos de crise que nossa história já registrou, este também deverá passar. E para quem estiver com a mentalidade certa para se reciclar e investir, aproveitando cada oportunidade, sempre haverá espaço para prosperar. Foi com base nisso, que a Rodociclo aproveitou uma ótima oportunidade de negócios e abriu sua primeira filial, justamente no estado vizinho Santa Catarina, cujas praias são adoradas pelos gaúchos e cujas cidades são destino de pessoas do Brasil todo, buscando qualidade de vida, melhor renda e claro, de presente as paisagens encantadoras. 



A cidade escolhida foi Itajaí, situada há cerca de 80 km de Florianópolis, capital de Santa Catarina. É uma região muito rica de turismo e belas paisagens, forte economicamente por ser cidade portuária e pela concentração de importadoras, especialmente no ramo de bicicletas. A cidade também é muito rica em termos de bikes e mobilidade. A malha cicloviária é extensa, bem maior que Porto Alegre. Grande parte dos moradores usa a bike no dia a dia para seus deslocamentos pela cidade. Vemos muitas elétricas na região. É muito comum ver pessoas com roupa casual, calça jeans, camisa e sapato pedalando em suas magrelas. Algumas muito simples e antigas, mas sempre cumprindo sua missão de levar e trazer seu dono a quase todos os lugares.




E se estamos falando de riqueza, a cidade é muito rica em cultura, respeito e concsiência. O ciclista aqui é muito respeitado, assim como o pedestre. Quando se está na margem da via, diante da faixa, os carros param. É normal você ter preferência no trânsito e acesso às vias. Esse comportamento só vemos no litoral gaúcho em época de veraneio ou na alta temporada na serra. 




Por ser um mercado promissor em muitos campos, a Filial Rodociclo está se estabelecendo aos poucos, com a mesma cultura da Capital onde fica sua sede. Horários favoráveis a quem tem pouco tempo, como sábados e finais de tarde, referência em atendimento e variedade são um diferencial. Começamos com as Caloi, mas agora recebemos o reforço da linha Fuji, além de uma ampla gama de peças e acessórios, com destaque para a linha Shimano, que recebeu um espaço dedicado todo seu, a exemplo da Matriz, que possui certificação Shimano Service Center. 





A primeira bike já foi vendida nos primeiros dias, uma GT aro 29 e a oficina começa aos poucos a ter movimento. A organização da loja exigiu esforço adicional, para que os dois dias que separaram a chegada da abertura fossem o bastante para organizar e abrir as portas, já  na segunda 25/01. O novo painel, que expõe mercadorias, foi montado no final da primeira semana e mudou o visual da loja. 





Com estacionamento para clientes e situada no centro de Itajaí, na Rua Umbelino Damásio de Brito, nº 117, Salas 04 e 05, a loja possui um ponto amplo e privilegiado. Ainda estamos com a fachada da Moove Bikes, que antigamente funcionava neste ponto, mas logo teremos nova fachada com nossa identidade visual que já bem conhecida em Porto Alegre. A oficina já está funcionando em atendemos duas lubrificações gerais e vários serviços de todos os níveis. 




Itajaí agora tem mais uma Bike Shop para atender seus clientes, em um ambiente onde bicicletas modernas de todas as modalidades dividem espaço com as urbanas destinadas à mobilidade. E atenderemos a todo tipo de público. Com esta abertura de ano, desejamos aos nossos leitores um ótimo 2016 e muitos pedais! 

Abaixo algumas fotos da nova Rodociclo filial Itajaí.











Equipe Rodociclo

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

TECNOLOGIA: NOVO SHIMANO TIAGRA 4700.



Ele foi lançado em março deste ano, mas somente agora começa a chegar no mercado. Há cerca de uma semana, entregamos uma Specialized Allez que veio equipada com o grupo e este realmente impressiona. Além do visual que o deixa mais próximo dos grupos 105, Ultegra e Dura-Ace, com cabeamento interno, Câmbios e Pedivela redesenhados nos moldes dos irmãos mais velhos, o Tiagra 4700 recebeu também um novo acabamento, com a cor denominada "cinza meteoro", que lembra o Ultegra. As alavancas deixam o acabamento em plástico com visor de lado e tornam-se mais limpas, com um visual encorpado e robusto. Os manetes, mais ergonômicos, ganham um poder de frenagem estimado em 30% em relação ao modelo antigo. 



O pedivela foi remodelado, a exemplo dos modelos de 11 velocidades, com desenho de quatro braços e novas combinações de marchas (52 x 36 e 50 x 34 dentes), facilitando a vida dos usuários iniciantes e entusiastas, público alvo do conjunto. O Câmbio traseiro também foi redesenhado e agora suporta engrenagens do cassete com até 34 dentes. A linha de alavancas para guidão reto também está disponível (SL-4700), oferecendo as tecnologias instant e two-way release.



Se avaliado como um conjunto, o Tiagra teve suas trocas de marchas e funcionalidade ampliadas, combinando robustez e baixa manutenção com uma performance melhorada e uma boa pitada de esportividade, acompanhando as tendências mais modernas dos grupos de estrada.

Seu preço, no entanto, próximo dos 3 mil reais, o situa em um segmento mais elevado, antes ocupado pelo 105 série 5700, que agora, com 11 velocidades, está muito próximo do Ultegra e Dura Ace. 

Equipe Rodociclo