Pedal noturno e a importância de ser visto no trânsito

É comum circular pelas ruas das grandes cidades ou mesmo em estradas durante a noite e ver aquelas pequenas luzes piscando ao longe na escuridão. À medida que se aproximam, estas luzes vão ganhando forma. São ciclistas que aproveitam a noite para fazer seu esporte, encontrar amigos e se divertir a bordo das suas magrelas. E para ajudar a garantir que esse divertimento fique livre de imprevistos é que eles usam faróis, sinaleiras traseiras e refletores na sua bicicleta.


Nestas horas, a criatividade é livre e o que mais importa é ser visto. São sinaleiras instaladas no canote, guidão, capacete, na roupa e mesmo no quadro e aros, tendo os mais diversos tamanhos e cores. Estas, não são uma garantia de segurança, mas permitem que o ciclista seja melhor visto no trânsito e contribuem com as condições de segurança não apenas do ciclista, mas do trânsito como um todo, prevenindo acidentes. Mesmo na cidade, onde há iluminação, existem trechos que são mal iluminados e dependendo das condições climáticas (sob chuva ou neblina), é comum que a visibilidade fique menor.


Nessas horas, tudo o que puder ser feito para melhorar a visibilidade e chamar a atenção do motorista para o ciclista deve ser observado. Além de obedecer às normas de trânsito e circular pela direita da pista, é recomendável que o ciclista esteja devidamente sinalizado, pois isso atrai a atenção de quem dirige, colocando o ciclista em foco no seu campo de visão.


Um ciclista sem sinalização em uma via mal iluminada submete-se a um grande risco de ser atropelado, uma vez que nossas próprias vias não apresentam as devidas condições de segurança e trafegabilidiade. É praticamente inviável que em avenidas mais movimentadas o motorista mantenha a distância de 1,5 metros ao ultrapassar o ciclista, conforme prevê a lei e embora cientes que ela nos protege, devemos considerar as condições práticas do trânsito, pois esse cuidado no dia-a-dia é que preserva nossa segurança e nossa vida. Por isso, nós devemos propiciar as devidas condições para que sejamos vistos no trânsito.


E não pense que só a sinalização traseira é importante quando se anda à noite. O uso de faróis dianteiros também é recomendável, não apenas em situações onde não há iluminação alguma, mas também em vias iluminadas. É muito comum que a aproximação do ciclista não seja notada por motoristas saindo de cruzamentos ou pedestres atravessando vias. Uma vez que vivemos em um país com forte cultura para carros e em meio a um trânsito estressante, nos acostumamos a observar no trânsito apenas os veículos automotores, sem reparar, por exemplo, nas bicicletas. Nestas situações, o uso de um farol intermitente é altamente recomendável.


Para quem viaja em auto-estradas, onde a velocidade dos veículos é maior e a iluminação praticamente depende apenas dos próprios veículos, é recomendável o uso de colete refletivo, refletores na bicicleta e piscas traseiros, além de farol dianteiro. Este último é fundamental para que o ciclista oriente-se, veja obstáculos e buracos na pista e evite animais e pessoas que podem cruzar a sua frente, facilitando a sua circulação e igualmente refletindo as placas e faixas de orientação, como o farol de um carro, além de o tornarem mais visível ao trânsito. Evite confiar apenas em adesivos refletivos, coletes ou olhos de gato, pois nas nossas ruas curculam muitos carros em péssimas condições, alguns sem farol ou qualquer tipo de iluminação.


Na hora de escolher o componente para a sinalização da sua bicicleta, não esqueça de escolher componentes de qualidade, que sejam à prova d'água e comprovadamente duráveis. Nessa hora, fora a orientação do estabelecimento que vai vender, é recomendável basear-se pela experiência de quem já usa os equipamentos e procurar uma loja especializada em artigos voltados para o ciclismo. Uma vez com o equipamento, tenha o cuidado de fixá-los em locais práticos e visíveis e mantê-los limpos e em boas condições de funcionamento, sempre com as pilhas e baterias em dia. Caso você use muito esses equipamentos, é recomendável que você adquira um carregador e um conjunto de pilhas recarregáveis, pois assim economizará na compra de pilhas, não correrá o risco de ficar sem iluminação e estará contribuindo com o meio ambiente. E se você usa bagageiro na bicicleta, lembre-se de instalar o seu pisca em um local que não fique escondido atrás do mesmo.


Atualmente, existem muitas marcas de faróis e piscas que oferecem uma linha bem completa de produtos para todos os gostos e aplicações. Se você usa a bike apenas na cidade, um pisca traseiro e um farol mais simples, que tenha a função intermitente e permanente acessa resolvem seu problema. Se você viaja e anda muito à noite, em lugares escuros, pode optar por modelos mais sofisticados, mais potentes e com recursos adicionais, como por exemplo, luz alta e baixa.

Entre os faróis, os que estão em alta no momento são os de led, que podem emitir luz branca ou azulada, permitindo uma iluminação superior aos halógenos, que até bem pouco tempo eram a alternativa para quem desejava uma iluminação mais potente. A maior diferença entre esses dois tipos, no entanto, está na duração das pilhas ou baterias. Um bom farol halógeno gasta um conjunto de pilhas ou baterias, em média, a cada quatro ou cinco horas. O de led pode durar mais de 200 horas, sendo que a durabilidade dos componentes também é um ponto que merece destaque.

Mais recentemente, entre os faróis com conjuntos de led's, surgiu a figura do super led, que consiste em um único led com potência extremamente alta, com maior foco de iluminação e alcance. Desta forma, cada vez mais encontramos faróis com mais potência e capacidade de iluminação, fora o bom nível de acabamento e recursos, como os que mencionamos anteriormente, de luz alta e baixa e à prova d'água, tornando esses produtos extremamente duráveis e justificando o investimento que muitas vezes se faz em um farol de maior valor.

E já que estamos falando em valor do investimento, se você pretende adquirir um farol, tente imaginar qual a aplicação que você vai dar a ele antes da compra. Muitas pessoas deixam de investir no equipamento por achar que ele é muito caro. Faróis de boa qualidade podem ultrapassar o valor de R$ 150,00, mas modelos mais simples giram em torno de R$ 40,00 e são bem funcionais em situações com iluminação relativamente baixa, bem como para uso no trânsito urbano durante a noite. Já um bom pisca traseiro fica na faixa de R$ 25,00.

As marcas mais tradicionais dosponíveis atualmente são Zéfal, Qlite, Cataye e Serfas, todos com boa linha de produtos e os mais variados modelos e preços. Entre nossos produtos, destacamos alguns modelos, cuja qualidade e funcionalidade já foram comprovadas por nossos clientes:

Fárol Qlite 3 leds, 2 funções, fita dry-fit, compacto, mais indicado para o uso urbano, com boa luminosidade e função de pisca intermitente.



Farol Cateye EL 520 É uma pequena luz, mas produz mais de 1200 candlepower, sendo 50% mais luminoso que o HL-EL510. Tem luz alta e baixa e uso de 4 baterias tipo AA. Tem mais de 240 horas de autonomia em luz baixa e boa visibilidade lateralm além do suporte flexível. Recomendával para uso tanto urbano como para cicloturismo, em locais com pouca o nenhuma iluminação.



Pisca cateye ld-170, com 3 funções, a prova d'água. Um dos mais simples e funcionais em termos de instalação e manutenção. Tem ótima durabilidade e funciona com duas pilhas tamanho AAA, permitindo que você seja visto a uma boa distância.




A Rodociclo Bike Shop trabalha com toda a linha de produtos das melhores marcas e oferece a seus clientes ótimas condições para a aquisição dos mesmos. Visite nossa loja ou consulte os modelos disponíveis!

E se os argumentos do texto acima não foram o bastante para convencê-lo a investir na sinalização da sua bicicleta, veja o vídeo abaixo e, independente da situação, lembre-se sempre de usar roupas claras e coloridas para pedalar, que façam com que você chame a atenção e seja visto com mais facilidade no trânsito.







Equipe Rodociclo

Comentários