Dia mundial "Na Cidade Sem Meu Carro". Entenda a importância deste dia.



Comemorado há nove anos, especialmente em países da Europa, o Dia mundial "Na Cidade Sem Meu Carro" vem se tornando um símbolo da luta por uma concepção sustentável com relação ao uso dos meios de transporte em grandes cidades, em especial o uso do carro.

Apesar de ser difícil fazer com que as pessoas, pelo menos por um dia, deixem seus carros na garagem e busquem o uso de meios de transporte alternativos, este dia certamente merece uma reflexão sobre todo um contexto social e cultural no qual estamos inseridos.

Quem já não perdeu muitas horas em um congestionamento ou mesmo calculo quantos minutos diariamente, trafegando por nossas congestionadas ruas e avenidas, mesmo que em pequenos congestionamentos? Pensando a longo prazo, este é um tempo precioso de nossas vidas que perdemos, stressados, trancados e imóveis dentro de um carro, na tentativa de nos deslocarmos de um lugar para o outro, um deslocamento que com o crescente número de carros a ocupar as vias, torna-se cada vez mais complicado e mostra o quanto a frota tem crescido desproporcionalmente à estrutura que é criada para sustentar o movimento de veículos.

Fora isso, a poluição sonora, a fumaça, a degradação das vias e o consequente stress atingem não só os motoristas e ocupantes dos veículos (além dos próprios veículos). Os cofres públicos também sofrem, diante de uma necessidade cada vez maior de criar condições e manter o bom funcionamento de toda essa estrutura, gerenciando o trânsito, ficalizando e mesmo investindo na manutenção e conservação das ruas, avenidas e estradas.

E na ponta dessa cadeia, a população como um todo sofre, diante do espaço cada vez menor que o pedestre e o cidadão urbano comum encontra nas ruas das cidades. O cidadão vive inseguro com a violência preso atrás das grades da sua residência e não encontra condição de andar pelas ruas da cidade que vive.

A falta de condições e mesmo de qualidade do transporte coletivo em geral também contribuem com esse quadro, levando muitas pessoas que poderiam fazer uso do mesmo a preferir adquirir o tão sonhado carro, visto culturalmente em nosso país como um símbolo de status, segurança, independência e liberdade. Mesmo assim, com uma frota de 23 milhões de veículos, temos um carro para cada 8 pessoas no Brasil. Nos Estados Unidos, esse número é de um carro por pessoa!

Um dos maiores problemas nesse âmbito é a falta de cultura do cidadão, que incentivado pela política consumista imposta pelas montadoras, que sabidamente usam os países do Terceiro Mundo para reerguer suas vendas e situação econômica, associada à frexibilidade de crédito, (que permite adquirir um carro financiado ao longo de até cinco anos), acaba por investir suas economias naquilo que projeta ser mais um item de conforto e praticidade para si e sua família. Um ledo engano, considerando que as perspectivas de redução global da qualidade de vida em função da poluição e outros fatores antes mencionados coloca em xeque os benefícios da "cultura do carro".

Nos países de Primeiro Mundo e mesmo nos Estados Unidos, um dos maiores produtores e consumidores de carros, e berço das grandes indústrias automobilísticas, como a General Motors e Ford, estas se viram em apuros recentemente, quando a grande crise que as acometeu e fez com que seus valores de produção fossem revistos.

Não há mais espaço nem nas ruas, nem no bolso e talvez nem no gosto da maioria dos consumidores para os grandes, barulhentos e caros "carrões", símbolos de status em outras décadas. No lugar destes, surgem novos modelos e carros conceito, onde a sustentabilidade é a bandeira para o que, mais que um modismo, é uma tendência, uma nova consciência, tendo em vista a grande degradação ambiental e mesmo humana por que passam não só as grandes cidades, mas populações inteiras.

Na Europa, várias cidades adotaram projetos visando meios de transporte mais econômicos, sustentáveis e não-puluentes e a cultura do uso do carro foi dando espaço a um comportamento focado na sustentabilidade e na preservação do meio-ambiente associado aos benefícios da caminhada ou do uso da bicicleta. Esta última, é o ponto-chave nessa discussão de sustentabilidade, pois é um dos mais antigos meios de transporte conhecidoa pela humanidade. Muito difundida no velho continente, onde o ciclismo como esporte concorre com o futebol em termos de audiência, é comum vermos pessoas fazendo uso das "magrelas" para deslocar-se, passear e mesmo viajar.


Já no Brasil, a cultura do uso da Bicicleta está sendo difundida aos poucos, apesar de sermos um dos maiores fabricantes do mundo.Muito ainda precisa ser feito, mas mais que uma mudança estrutural, é preciso uma mudança no comportamento e na consciência de cada cidadão, empresários e do Governo. Enquanto isso não ocorre, vamos lutando para que o uso da bicicleta como esporte ou meio de lazer e transporte seja cada vez mais popular. Neste ponto, nós da Rodociclo Bike Shop, prestamos nossa homenagem a esse dia 22 de setembro, um dia em que as ruas da nossa Capital continuaram cheias de carros, mas sabemos que a mudança está ocorrendo, mesmo que de forma silenciosa, mas nos sentimos orgulhosos de fazer parte dela!

Então, aqui segue um pequeno texto sobre o uso da bicicleta:

Um pouco sobre a bicicleta:

- A bicicleta faz bem ao corpo em todos os sentidos.
- É um esporte aeróbico, aumenta a resistência física, ajuda a manter o peso.
- Contribui para a boa circulação sangüínea e melhora o metabolismo.
- Como qualquer esporte, libera endorfinas, que ajudam a combater a depressão e aliviam o stress, causando sensação de prazer e bem estar.
- O teu sono melhora. a prática regular de esportes leva a ter uma vida mais regrada e uma alimentação adequada.
- A saúde como um todo melhora e o organismo ganha mais resistência a várias viroses e resfriados. sem contar as pernas trabalhadas!...

Bom, isso tudo, só para você! Agora, pensa para na tua relação com o ambiente em que tu vives:

- É uma forma de transporte comprovadamente funcional para curtas e médias distâncias.
- Na cidade, em situações de congestionamento, é mais rápida.
- Não polui, não faz barulho.
- É econômica e não gasta combustível, pois o motor é você!
- Ocupa menos espaço no trânsito e seu custo de manutenção é mais barato que qualquer outro veículo.
- Você não gasta com transporte.
- Fácil de estacionar.
- De quebra, você faz um esporte integrado à rotina do dia-a-dia (pode ser feito até enquanto você vai para o trabalho).

Com tudo isso de bom para você e seu meio, o que você está esperando?
Junte-sea nós!!!



ESTA É UMA HOMENAGEM DA RODOCICLO BIKE SHOP AO DIA MUNDAL NA CIDADE SEM MEU CARRO!

Equipe Rodociclo


Comentários