Audax Série 2010 - A Rodociclo esteve lá!




O Audax é um dos eventos ciclísticos que mais movimenta público nos últimos anos aqui no Estado. São ciclistas de todas as idades, com os mais diversos tipos de bicicletas, desde os mais velozes até muitos iniciantes e entusiastas do esporte, que pouco a pouco, vão superando seus limites e rompendo as barreiras das longas distâncias.

O Audax 200, considerada a prova inicial do calendário, com seus 200 km é uma das mais tradicionais, pois a partir dela, a exigência física e o preparo que são exigidos são maiores. Geralmente ela ocorre durante o dia e em períodos mais quentes e é, de fato, feita para o ciclista que está começando e por isso, sempre requer uma boa estrutura e claro, um enfoque naquele ciclista que ainda não participou de nenhuma prova.

Este Audax 200, que ocorreu neste 18/10 foi muito peculiar. Quase nunca temos um evento deste tipo nessa época, pois geralmente as provas ocorrem no início do ano, justamente para que se faça a série de provas ao longo do ano. Com isso, as provas de 300 e 400 km (que podem ir a 1.200 km) acabam por ocorrer no inverno. Mas esta prova já é válida para o ano de 2010!

A época peculiar também acabou por criar um cenário ímpar, pois estamos saindo de um inverno recente, seguido de dois meses de muita chuva, o que impediu muitos ciclistas de treinarem adequadamente. E tivemos um fator que dificultou muito a vida de quem esteve na prova e deixou para vir mais para o final da tarde: o vento!

Esta é a época dos famosos "Ventos de Finados". Entre o final de setembro e o início de Novembro, sempre venta muito. Por sorte não tivemos chuva. Mesmo assim, os trechos finais da RS 401 e nos intermináveis 12 km da BR 290, até Eldorado do Sul, a maioria dos ciclistas enfrentou fortes ventos frontais e laterais, que impediam que se pedalasse muito acima dos 20 km/h. Isso fez com que essa prova fosse vista como uma das mais difíceis dos últimos tempos.

Segundo uma estatística publicada no blog da Sociedade Audax, foi a prova de 200 km que teve o maior tempo médio de conclusão aqui no Estado. Mas nada comparado com o Audax 300 de Caxias do Sul do ano de 2004...

Muitos ciclistas que já vinham cansados, após rodar 150 km acabaram desistindo da prova ou perderam mais tempo que o desejado nestes últimos e desgastantes quilômetros, que só foram amenizados com o vento a favor nos 15 km finais da BR 116, chegando em Porto Alegre. Foram nada mais que 207 km de muita superação e persistência.

E como não podia deixar de ser, a Rodociclo Bike Shop esteve presente neste Audax, tanto no apoio ao evento como participando da prova através dos seus colaboradores Everton, Jeferson e Rodrigo e do seu proprietário Anderson.


Além de apoiar a organização da prova, que teve apoio oficial da Specialized/Sram, duas marcas que são nossas parceiras de trabalho, estivemos presentes no briefing do evento, que ocorreu na véspera da prova, onde tivemos a oportunidade de expor alguns dos nossos produtos, com destaque para as bicicletas híbridas, um conceito que vem se tornando cada vez mais popular entre cicloturistas e ciclistas que pedalam longas distâncias, como é o caso do Audax.



E um dos nossos destaques foi uma Sirrus personalizada, da marca Specialized, uma das bikes mais leves e versáteis da nossa linha de bicicletas. Também tivemos a oportunidade de ter um contato inicial com muitos dos ciclistas com os quais dividiríamos as estradas na manhã seguinte e sentir o clima e a expectativa do evento.


Na manhã do dia seguinte, às 06:00 já estávamos no DC Navegantes. O Anderson e o Everton acabaram se atrasando um pouco, mas até então tudo bem. Às 07:10, quando ocorreu a largada oficial, com pequeno atraso de 10 minutos, estávamos a postos para cumprir nosso papel. A partir deste momento, cada um de nós se relegou a sua natureza unicamente como ciclista, se igualando a cada um dos 175 participantes que alinharam para a largada.

O transcorrer da prova de seu de forma singular para cada um de nós. Eu optei por fazer a prova de speed, mesma opção do meu colega Jeferson, que havia adquirido a sua KHS na mesma semana da prova. Devido aos dias de chuva dos últimos dois meses, todos tivemos pouco tempo para treinar e assim, não sabíamos em que ponto estava nosso condicionamento. A Anderson largou com sua tradicional Sirrus e o Everton com sua MTB Rally USA.

Fui disposto a fazer o melhor tempo possível. A preparação para a prova foi simples. Uma janta à base de carboidratos. Na largada, saí com algumas barras de cereal e meia dúzia de sachês de gel energético e mais isotônico e água em duas caramanholas. A bike havia sido limpa duas semanas antes e apenas recebeu um pneu novo na traseira e pilhas no pisca. Levei comigo dois faróis, mas não foram necessários, pois a largada se deu com a luz do dia.

Os excelentes Schealbe Blizzard (ainda temos um par na loja!) provaram mais uma vez seu valor. O pneu traseiro, que passarei a usar como reserva, ainda tinha muito material. O dianteiro estava quase novo, após mais de 5.000 km rodados. Além disso, é um pneu que dificilmente fura. Ainda assim, levei um pneu reserva na bolsa de selim. Esta é a vantagem dos pneus sem arame: além de leves e fáceis de transportar, são mais fáceis de instalar e aceitam maior pressão. Um ótimo custo benefício!

Alcancei meu colega Jeferson com cerca de 60 km de prova. Paramos rapidamente no PC do km 77 e seguimos para completar os 100 km antes das 11:00. Nisso alguns ciclistas haviam passado por nós, já retornando, estando cerca de 15 km à nossa frente. Eu optei por não almoçar, apenas fiz um lanche, alonguei e saí. No km 112, um imprevisto de certa forma esperado: uma caibra. Na verdade, como não vinha rodando longas distâncias (meu últimos pedais longos foram no 07/09 e uma semana antes, até Itapuã, quando voltei com caibras). Dali por diante, rodei até o km 153 mantendo o giro na faixa dos 25 km/h e alongando.

Uma vez no PC, fiz um lanche (um pastel de forno) e mais barras de cereal e isotônico (o terceiro do dia) e saí. A caibra desapareceu (falta do sódio), mas o forte vento que pegaríamos, associado ao cansaço não me deixou desenvolver muito. Acabei completando a prova com o tempo de 09 horas e 29 minutos, chegando antes das 17:00. Aos poucos, mais ciclistas foram chegando e aí começou outra etapa: as histórias pessoais de cada um.

Logo chegaria o Jeferson, apenas meia hora depois e mais tarde o Anderson e o Everton e aos poucos, fomos nos juntando a alguns colegas de provas e amigos ciclistas que foram acompanhar a chegada. Cada um com sua história, seu cansaço e também na expctativa de ver seu amigo ou colega de prova chegar.

COMPRANDO PNEU...


Uma das histórias mais inusitadas veio da parte do Anderson, que resolveu parar para ajudar um dos participantes, que teve um pneu rasgado. Acabaram saindo da estrada e entrando em um vilarejo, onde bateram de casa em casa perguntando "Tem bicicleta aí???". Como resultado, acabaram comprando um pneu, que acabou sendo retirado da bicicleta de uma senhora... E assim, a prova teve prosseguimento.

Outro exemplo de superação foi o da ciclista Margot Ferreira Beck, conhecida entre os ciclistas, que após ter sofrido um atropelamento, tem pedalado usando apenas um braço e mesmo assim, concluiu a prova, chegando nos minutos finais. O mesmo ocorreu com muitos ciclistas. O forte vento fez com que boa parte dos "audaxiosos" desse desafio chegassem depois das 17:00. O destaque foi o ciclista Rodrigo Silva Zaneti, que concluiu com o tempo de 06h. e 57 min.


Mas o que torna o Audax um evento popular e cada vez mais em ascensão é o fato que cada um dos ciclistas que concluiu a prova dentro do tempo foi considerado vencedor. E mesmo quem não completou, só o simples fato de alinhar e se dispor a largar para pedalar 200 km já é uma vitória pessoal. Certamente, veremos esses ciclistas concluindo um Audax futuramente.

Nossos cordiais agradecimentos à Organização da prova pelo bom, organizado e atencioso trabalho realizado. Ficamos honrados em ter sido parceiros e apoiado o evento. E nosso obrigado a cada ciclista que esteve lá. Um obrigado especial aos nossos amigos e clientes, pois sabemos que confiaram na nossa loja, nos nossos vendedores, nos nossos produtos e serviços e tivemos a chance de ver os frutos do nosso trabalho materializado em cada pedalada que foi dada, pois isso é o Audax!


Confira todas as fotos da Rodociclo do evento, tiradas pelo colega Jeferson, clicando aqui.

Maiores informações, mais fotos, tempos e programação do calendário Audax 2010, além de comentários e curiosidades, você encontra no blog da Sociedade Audax.

Fotos por Daniel Serafim e Jeferson Ribeiro.

Equipe Rodociclo.

Comentários