Roteiros: em função da chuva, BR 116 fica interditada para carros, mas não para bikes...

Vem chagando mais um verão e com ele, as condições do tempo melhoram, o pessoal vai aproveitando os dias mais longos para sair de casa, praticar esportes ao ar livre, correr, pedalar e entrar em forma. Nesta época, propícia para a prática esportiva, a maioria dos ciclistas aproveita para rodar mais, fazer pedais mais longos e curtir o clima, depois dos meses de frio e chuva, típicos do nosso inverno.

Para grande parte da população, o calor é associado ao mar, à praia e aproxima-se a temporada do veraneio, onde o caminho mais natural é o litoral. Para muitos biker's, o destino não é muito diferente. Muita gente já fez, costuma fazer ou pelo menos sonha com um pedal até o litoral. E de fato, é um belo roteiro e sempre deixa muitas boas lembranças ao longo da vida.

Porém, para quem curte pegar uma estrada de bike, especialmente nessa época, o litoral é apenas mais um roteiro, pois também existem outros, também tão belos e até mesmo mais desafiadores que o tradicional pedal para a praia. Um deles, que está ao alcance dos moradores de Porto Alegre e região metropolitana, em especial Vale dos Sinos, é a Serra Gaúcha.

Mesmo nessa época do ano, a serra gaúcha não perde o tom "europeu" buscado pelos turistas na temporada alta. O grande diferencial é que os dias nublados, excelentes para curtir o inverno diante de uma lareira tomando um bom vinho cedem lugar ao clima ameno, onde a natureza dá um show à parte, e as hortênsias ajudam a compor a paisagem colorida que surge entre o verde da mata e as rochas dos enormes paredões contornados pelas estradas. É um convite para a prática esportiva, desde o mountain bike até o ciclismo de estrada ou até mesmo uma caminhada pelas muitas áreas naturais que ainda preservam as suas características originais, além dos tradicionais pontos turísticos da região.

Os serviços nessa época em hotéis e restaurantes também acabam saindo com preço mais em conta, sem prejuízo da qualidade, que sempre foi um referencial da cultura típica alemã e italiana. A diferença é que se pode aproveitar mais de cada lugar, bem como desfrutar do atendimento de cada estabelecimento, considerando que nesta época o movimento diminui e com menos agito, sobra mais tempo para observar algumas coisas que em meio ao grande movimento da temporada alta e em decorrência do clima típico do inverno, nem sempre conseguimos ver.

E que tal pedalar na serra? Há quem diga que não é viável, que é difícil, cansativo, etc. Bem, ninguém disse que é fácil, até dá um pouco de trabalho, mas não é impossível! Só exige um pouco de treino e algum condicionamento, para que o cansaço não te impeça de curtir a chegada em cada lugar. E para provar isso, passamos os três últimos finais de semana rodando por estradas da serra gaúcha, a partir do feriado de Finados até o último domingo, dia 14/11, quando conseguimos algumas das imagens abaixo:




No feriado do dia 02/11/2009, eu e mais dois amigos (Eduardo e Felipe), atravessamos toda a Rota Romântica e seus 178 km, passando pelas cidades de Nova Petrópolis, onde almoçamos, Gramado, Canela e terminando o dia (ou melhor, começando a noite), em São Francisco de Paula.




No segundo dia do feriado, descemos pela RS 020 até Taquara, de onde partiríamos em direção a São Leopoldo, onde o Trensurb nos trouxe a Porto Alegre após nada menos que 274 km com direito a muito calor e escaladas de até 10 km sob sol intenso.





No final de semana seguinte, dia 07/11, foi a minha vez de fazer um pedal solo de 211 km. Partindo de Porto Alegre por volta de 09:30, cheguei em Nova Petrópolis com cerca de 100 km por volta de 14:00. Após um lanche e meia hora de descanso o retorno se deu pela BR 116, passando por Vale Real/Feliz e Bom Princípio. Entre Nova Petrópolis e Caxias do Sul, a BR 116 estava apenas com meia pista, em função de um desmoronamento. Veja algumas imagens:








Já no último sábado, 14/11, uma queda de barreira (a segunda em menos de um mês no mesmo ponto), deixou a BR 116 completamente interditada, no km 202, em Picada Café, nas proximidades da Tenda do Umbu. A previsão de liberação é de 60 dias e ainda há riscos de desmoronamentos. Sem saber do ocorrido, acabei registrando algumas imagens no dia seguinte, quando passava pelo local.

O desvio está sendo feito por Presidente Lucena, através do acesso à cidade de Ivoti, com saída em Picada Café, junto ao Cortume Ritter. Com isso, o trecho da BR 116 entre as duas cidades, passando por Morro Reuter e Santa Maria do Herval, está com trânsito reduzido e torna-se um roteiro muito atrativo para quem deseja explorar um pouco da região.

Uma dica fica por conta do almoço na Tenda do Umbu, tradicional ponto de encontro de motoqueiros na serra. Por R$ 16,90, almoço e sobremesas de ótima qualidade, tendo-se como opção almoçar ao ar livre. Tudo liberado! O complicado é conseguir pedalar depois de comer. Mas para isso, o lugar conta com quiosques e muita sombra para um merecido descanso...






Apesar das fotos não serem da melhor qualidade, já que foi o celular que permitiu registrarmos alguns desses momentos, seja pelo contato com a natureza, seja pela beleza quase que rústica de alguns lugares ou pela dureza de alguns percursos, mas o mais importante foi, sem dúvida, estamos lá. Chegando o verão, desejamos que, não importando para onde, você faça seu roteiro e aproveite para viajar. Se for de bike, melhor ainda, pois você vai estar fazendo um esporte, um bem para seu corpo e certamente, vai ver coisas que não veria de carro. A natureza também agradece! Se você não sabe para onde ir, nós damos algumas sugestões. Bons pedais!


Equipe Rodociclo

Comentários