Audax 200 de 02/11/2010: saiba um pouco sobre esta prova que abriu o calendário 2011.




Muita gente pensa que fazer um Audax é sempre a mesma coisa... Ainda mais o Audax 200, que quase sempre abre o calendário de cada ano com o tradicional trajeto Porto Alegre/General Câmara, já conhecido de muitos e até considerado monótono por outros.

Mas o fato é que desde 2004, esse é o trajeto preferido para a abertura da temporada por ser plano e com estradas relativamente calmas, bem estruturadas e sinalizadas, o que torna a coisa mais fácil, especialmente para quem está iniciando na modalidade.


Mas certamente não é assim para todos, pois cada Audax tem sua história peculiar e cada um traz consigo uma lembrança em particular, um momento, uma imagem que torna aquele dia um dia inesquecível. Sem contar que pedalar 200 km não é para qualquer um...

Para alguns, o Audax começa semanas, dias ou mesmo horas antes e termina muito depois. Esse é o caso da Organização, que trabalha muito e pensa em cada detalhe, para que todos os participantes possam fazer a prova de forma tranquila, segura e organizada.


Para muitos participantes também, a experiência é única e não se resume à prova em si, mas à expectativa e a própria preparação, que trazem um pouco do "Audax" para o nosso dia-a-dia, quase sempre atarefado com obrigações e compromissos. E mesmo os mais experientes, ainda assim, muitas vezes acabam sendo surpreendidos por algum imprevisto.

Este ano, minha dúvida era se eu iria ou não fazer a prova pedalando ou faria apenas o apoio mecânico junto aos participantes, quando então fui "convocado" pelo Anderson a representar a loja junto com meu colega Jeferson (completou a prova com 9 horas e 32 minutos), uma vez que a Rodociclo é uma das apoiadoras oficiais do evento, ficando outro funcionário encarregado do apoio mecânico.


A data da prova viria a coincidir com a realização da Bike Expo Brasil, que terá uma postagem especial apenas para falar um pouco das novidades desta grande feira nacional voltada para o mundo das bikes, de modo que somente nós participaríamos da prova, que ocorreu no último dia 02/11.


No entanto, em função dos acertos para a viajem do Anderson e dos colegas Rafael e Cristiano, acabamos não contatando o funcionário que faria o apoio mecânico. Na véspera da prova, acabamos fechando a loja mais tarde, em função do bom movimento e fomos até o DC Navegantes já durante o Briefing, pois alguns ciclistas nos aguardavam para adquirir alguns equipamentos e mesmo câmaras reservas e energético, que serviriam durante a prova.

Depois disso, ainda deixei o pessoal da organização no aeroporto, onde iriam buscar os carros para o apoio. Isso foi depois das 22:00 e fui para casa jantar e fazer meus preparativos para a prova, indo deitar por volta de 02:00...

Naquele dia, contatei um amigo, que faria o apoio mecânico, mas o mesmo acabou me avisando durante a madrugada que não poderia ir. Assim, de comum acordo com a Organização, me comprometi a pedalar a prova e ficar no PC1 até que os últimos passassem, bem como auxiliar o pessoal durante a prova.

Às 04:30, estava acordado, já me preparando para ir para o DC Navegantes. Deixamos ferramentas e material com a organização e eu e o Jeferson nos preparamos para a largada. Eu estava treinando fazia pouco tempo e com quilometragens muito baixas. No domingo que antecedia a prova, no meu maior trino, rodei 118 km, muito sofridos em função do vento, mas foi uma boa preparação, uma vez que os ventos são um marco típico da época dos Finados.


Na Largada da prova, acabei me situando em um pelotão intermediário, com o qual rodei os primeiros 40 km. Com 50 km de prova, fiz uma parada de 10 minutos e rodei sozinho até o PC1 (km 77). O vento contra foi incomum na ida e dava uma sensação maior de cansaço. Lá, ficamos com o pessoal da Organização até 11:50, quando os últimos passaram. Os problemas mecânicos foram relativamente simples e de fácil solução. O trecho final até o PC 2 foi feito de forma tranqüila, em ritmo leve. Ainda auxiliei um dos carros de apoio que socorria um ciclista que havia passaado mal.




A parada do PC 100 foi rápida. Comi um prato de macarrão que estava incluso na inscrição, um pouco de refrigerante e em seguida estava na estrada. O vento a favor permitia a manutenção de um ritmo na faixa dos 30/35 km/h. Na volta, aproveitando que eu estava de "apoiador mecânico", ainda auxiliei alguns participantes com problemas mecânicos e pneus furados.

Minha chegada se deu com 13 horas e 14 minutos, juntamente com alguns os últimos ciclistas que chegariam dentro do limite de 13 horas e meia, completando a prova (meu objetivo inicial) e garantindo meu Brevet de 200 km para 2011.



Mesmo com todo o cansaço, restava reunir os materiais e ferramentas da loja e claro, sempre sobra espaço para apoiar um amigo que está cansado, como foi o caso do nosso amigo Aido, que completou a prova com sucesso e acabou retornando comigo de carona.




Mais uma vez nossos agradecimentos à Organização pelo ótimo trabalho e os sinceros parabéns da Equipe Rodociclo a todos os participantes, mesmo aos que não completaram a prova, mas tiveram coragem de largar e buscar seus limites.

Esperamos mais uma vez poder confraternizar com os amigos no Desafio 100 km do próximo dia 28/11 e desde já, desejamos a todos bons pedais!

Quem desejar saber mais sobre o Audax ou obter informações e fotos desta e outra provas, recomendamos visitar o seguinte endereço: http://sociedadeaudax.blogspot.com/.

Equipe Rodociclo

Comentários

  1. Sem duvidas, o Rodrigo, o Jefferson, a Rodociclo e o seu empenhado pessoal tem sido uns verdadeiros parceiros nos Audax's. Audax e Rodociclo são sinonimos de bom pedal.

    ResponderExcluir

Postar um comentário