UM POUCO DE NOSSA LOJA

Novo espaço Rodociclo para 2014!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

BIke teste: Pneu GTK para aros 700. O melhor custo benefício do momento!

Comprar um bom pneu para speed, há algum tempo, era uma situação logo associada a um custo elevado, sempre preso a poucas opções de modelos e marcas do mercado, ainda mais tratando-se de um pneu sem arame. Os modelos desse segmento mais acessíveis costumavam ter pouca durabilidade, o que tornava seu custo/benefício desvantajoso, enquanto os pneus mais simples, (com arame), ofereciam pouca qualidade e durabilidade, além de terem um limite de pressão muito baixo. Alguns pneus intermediários, de melhor qualidade, ofereciam uma durabilidade interessante, mas pelo fato de serem com arame, acabavam sendo mais pesados e mais difíceis de colocar no caso de um conserto emergencial. Normalmente, eram indicados para ciclistas entusiastas ou para treino.

O diferencial de um pneu de treino e competição está na funcionalidade e nos recursos que oferece. Pneu de treino normalmente é mais pesado (torna as arrancadas e retomadas mais lentas), mas também é forte e durável, enquanto pneu de competição, normalmente é mais leve, aceita uma calibragem maior e prioriza desempenho em detrimento da durabilidade.




Esses conceitos foram mudando à medida que algumas marcas foram sendo inseridas no mercado. Atualmente, temos vários modelos disponíveis no mercado, que oferecem um preço atrativo e reúnem algumas características comuns aos pneus top de linha, que normalmente são voltados, em função do seu custo, para ciclistas mais exigentes e para o uso em competições.

E é nesse segmento de entrada, mas porém com qualidade, que situamos nosso produto em destaque, não só pelos seus atributos, mas também pela procedência. O pneu GTK, para quem não conhece, é fabricado pela CST, um renomado fabricante de pneus, que discretamente, coloca sua marca na lateral do pneu. Trata-se de um pneu leve (220 gramas, aproximadamente), durável, fabricado em kevlar, com várias opções de cores, disponível na medida 700 x 23, permitindo o uso com até 120 libras, que chega ao mercado com um preço final atrativo (atualmente R$75,00 cada).

Com o tempo, vem se tornando um dos modelos mais procurados por entusiastas e mesmo ciclistas que competem, por ser uma ótima opção para os mais diversos usos, até mesmo em treinos. E para comprovar a qualidade e durabilidade do produto, nós o colocamos em teste há cerca de oito meses, para uso urbano, na estrada e em algumas provas de ciclismo, onde o mesmo mostrou comportamento excelente, além de durabilidade acima da média para um pneu do seu segmento.

Poucas semanas após adquirir o pneu, me deparei com alguns pequenos cortes ao longo da sua banda de rodagem e comecei a duvidar da sua durabilidade, mas estes mostraram-se ser apenas superficiais, uma vez que a camada de material da região é bem espessa. Os cortes justificam-se, pois costumo rodar em diversos tipos de piso, seja na cidade ou também no trecho que percorro diariamente na BR 116, onde é comum haver restos de metais e vidros, que danificam os pneus.

Rodando cerca de 800 km por mês (em média), maior parte desse percurso em trechos urbanos, onde os detritos são comuns e a qualidade do piso não é das melhores, o pneu demonstrou ótimo comportamento. Com cerca de 5 meses de uso, fiz o rodízio, pois o pneu traseiro estava visivelmente mais gasto e ainda consegui usar o par por mais três meses.

Entre os treinos diários e o deslocamento para o trabalho, as distâncias variaram de 25 a 80 km por dia na cidade. Fora isso, em feriados e finais de semana, trechos na serra, Free-Way e estradas da região foram nosso "pátio de testes". O pneu também encarou alguma chuva, e neste ponto, a aderência propiciada pela parte colorida da sua banda, com algumas ranhuras, se mostrou eficiente. Na reta, a parte preta da banda, que concentra maior material se mostra resistente, durável e propicia bom desempenho.

Participei de algumas provas curtas ainda. Para uso diário, quase sempre com pressão entre 90 e 100 libras, em provas, com cerca de 110 libras. Nesse ponto, vale a pena salientar que o uso de uma pressão adequada no pneu (nem muito abaixo e nem no limite) ajuda a preservar a sua longevidade.

Nas últimas semanas, senti que precisava realmente trocar os pneus, que começavam a apresentar pequenos "caroços" em função da diminuição do material, mas ainda assim, isso não chegou a prejudicar a rodagem. Mesmo assim, preferi não usar o pneu até acontecer algo mais sério, um vez que dependo dele para deslocamentos longos. A troca foi feita tendo a impressão que o pneu ainda rodaria mais.

E para quem fala que pneu de speed fura muito, posso dizer que foram muito raros e eventuais os furos que tive, claro sempre usando os pneus com fita anti-furo em condições. Vale salientar que a fita anti-furo tem uma vida útil. O que se fala, da fita "furar pneus" deve-se ao fato do uso de fitas por tempo muito prolongado (mais de dois anos), quando pode ocorrer o ressecamento da mesma. Mas uma fita que custa cerca de R$ 40,00 o par, por dois anos de vida útil, justifica o investimento.

Agora, com um par de pneus novos, do mesmo modelo, vamos para o veredicto final, mas desde já, com esse teste, podemos dizer que o pneu GTK é um ótimo pneu. Não tenho dados exatos da quilometragem que rodei com ele, mas ultrapassou seguramente 5.000 km, o que é uma marca interessante, sempre sendo usado em asfalto e pisos concretados (muito comuns em algumas das nossas avenidas).

Este teste não objetiva descaracterizar marcas de pneus top de linha, com Michelin, Continental e Schwalbe, que são reconhecidos por sua tradição, qualidade e confiabilidade na fabricação de pneus, mas sim mostrar que os pneus de entrada evoluíram muito e hoje você encontra boas opções, especialmente sem arame, que são pneus mais fáceis de colocar, mais leves e podem ser transportados até como opção de pneu reserva em pequenas viagens, proporcionando uma rodagem com mais desempenho e conforto, tudo isso com um custo interessante!

Equipe Rodociclo.


Um comentário:

  1. Meu humilde depoimento:

    Há duas semanas, sem nunca ter andado de Speed na vida, comprei uma fixa com esses pneus.

    O pneu já apresentava alguns cortes superficiais como mencionado, mas nada grave.

    (veio com fita anti-furo, que até chegou a furar o pneu uma vez, mas resolvi com uma emenda de silvertape, não furou mais)

    Tenho andado em avenidas esburacadas (Protásio) e estradas, com 100 libras sempre, sem ficar desviando muito das coisas. O pneu vai embora, não é desconfortável demais (mesmo para quem viveu a vida andando de mountain bike), e não se danifica facilmente, ao que parece.

    O Pablo Weiss também tem e diz que gostou muito.

    Ou seja, a recomendação da loja é válida!

    Aliás, parabéns ao Rodrigo Hart por realmente "dar a real". A loja muito bem poderia recomendar pneus mais caros, ou desmerecer os mais baratos, mas não, valoriza o que é bom pro cliente.

    Afinal, essa é a Rodociclo.

    ResponderExcluir