Gaúchos fazem bonito na 1ª Volta de Santa Catarina Master


Demorou um pouco mas saiu... No início deste mês, o nosso blog acompanhou a Volta de Santa Catarina Master, onde a Equipe STARTEC/CAMER/RODOCICLO BIKE SHOP esteve presente, representada por seus atletas Maurício Pontes, Rodrigo Oliveira e Rogério Américo (Canela). Foi sem dúvida uma prova de grande renome e também muito dura que passa a fazer parte do currículo dos nossos ciclistas, que com isso agregam nível ao ciclismo estadual, levando o nome do esporte Gaúcho em uma prova de nível nacional.


Alguns dos melhores ciclistas do Brasil estiveram presentes nesta prova, que dividiu um total de 81 participantes em sete categorias, de acordo com a respectiva idade. As chuvas vieram nos dias que antecederam a prova e, em função delas, a etapa de montanha chegou a ser cancelada.


No entanto, o mau tempo e as adversidades não foram impecílio para que nossos atletas chegassem ao lugar mais alto do pódio. Já na primeira etapa, Maurício obteve sua primeira vitória na categoria A1. Com isso, tornava-se um dois favoritos ao título. No segundo dia, no entanto, no CRI, o atleta acabou sendo prejudicado pelo fato de ter competido com uma bicicleta emprestada, ficando com o sexto lugar e perdendo dois minutos para o vencedor da etapa.



Neste tipo de prova, que classifica o atleta pelo tempo, vantagens obtidas na montanha e CRI dificilmente conseguem ser revertidas. A terceira etapa (montanha) era uma das mais temidas, pois nossos atletas não são especialistas na modalidade. No entanto, o mau tempo fez com que essa etapa fosse suspensa, restando apenas a prova de estrada (onde Maurício ficou com o quinto lugar) e o fechamento, outro circuíto, com nova vitória do nosso representante.


Apesar dos bons resultados, o tempo do CRI parcialmente compensado não foi o bastante para alcançar os líderes, de modo que Maurício voltou para casa com o 4º lugar na geral, a 1 min e 27 seg. do vencedor. Mesmo assim, foi um quarto lugar com sabor de vitória para este atleta, cuja principal característica é a passada forte, o que não o impediu de disputar a chegada e vencer com clara vantagem os dois dias de circuíto.


Não podemos desmerecer também o trabalho de Rodrigo Oliveira, que acabou em 9º na volta, que mesmo não estando no pódio na geral, no último dia foi quarto colocado na prova de circuíto e mostrou ótimo condicionamento realizando, ao lado de Maurício, um forte trabalho de equipe no sentido de apoiar o companheiro, que certamente, sem sua ajuda, não teria tido resultados tão expressivos. Afinal, todos sabemos que o ciclismo é o mais coletivo dos esportes individuais!



CANELA LIDERA DE PONTA A PONTA.

Na categoria B1, Rogério Américo mostrou ser o favorito e o mais forte entre os participantes. Venceu as etapas de circuíto e estrada e foi 3º no Contra Relógio, valendo-se das suas características de sprinter e bom contra-relogista. Com isso, Canela foi campeão na geral (da sua categoria), mostrando porque a STARTEC/CAMER/RODOCICLO BIKE SHOP possui um dos elencos mais fortes das categorias Master do RS.


RESULTADOS DE LONGO PRAZO.

A equipe STARTEC/CAMER/RODOCICLO BIKE SHOP vem a algum tempo realizando um forte trabalho na construção e entrosamento da equipe. Os atletas Rodrigo Oliveira e Maurício Pontes (ambos tem experiência competindo na categoria Elite) têm competido na Master A, juntamente com Rogério Américo (que já foi campeão Master estadual e atualmente é vice), no sentido de colocar sempre mais de um atleta da equipe no pódio. A equipe conta hoje com um elenco experiente e bem composto, fruto da dedicação nos treinos (vide ranking Rodociclo neste blog) e regularidade nas provas.


Nós da Rodociclo, ficamos felizes que auxiliar estes atletas a representarem nosso estado, que em contrapartida, trouxeram na bagagem experiência e várias medalhas e troféus, tornando nosso esporte cada vez mais respeitado dentro e fora das nossas fronteiras. Fica, portanto, nosso agradecimento, com a grata sensação de ver que o trabalho do nosso dia-a-dia tem representação significativa no meio competitivo e agrega valor não só ao esporte, mas também à sociedade como um todo. Esporte é saúde, lazer e socialização. Para que seja praticado e respeitado, deve ser visto e prestigiado!


Abaixo, um relato de Maurício Pontes sobre como foi a sua participação nesta prova, que segundo o atleta, lhe deu uma experiência e uma visão bem mais amplas do ciclismo competitivo, já que é o segundo resultado significativo do atleta neste ano, já que no início de 2011 obteve bons resultados na Copa Sul Master, também em SC.


"Foi uma prova difícil e muito dura, pois competimos sempre sob condições adversas. Não pegamos muita chuva, mas o asfalto esteve molhado o tempo todo. A vitória do primeiro dia foi conquistada com dificuldade. Andamos forte (40,3 km/h) de média no circuíto. Tentei várias vezes fuga, mas o pelotão neutralizava. Faltando 500 metros, eu estava no bloco, mais ou menos em 10º, quando o pelotão se dividiu em dois e eu acompanhei. Fui para a chegada, estando em 4º e nos últimos 50 metros, consegui me adiantar colocar apenas meia bicicleta de vantagem para o segundo colocado, justamente quando passamos a linha de chegada. Foi uma vitória complicada e muito disputada, onde temos que decidir quando sair para o sprint no tempo certo, mas valeu a pena!


No segundo dia, o CRI foi plano, eu tinha a vantagem de ter uma boa passada, mas competi com uma bicicleta emprestada, uma vez que não possuo uma bike específica e minha speed é boa para estrada e circuíto. Como altura do selim e geometria não eram adequadas e também pelas condições da pista, preferi não me arriscar. Resultado, tomei 2 minutos, sendo que no final, acabei ficando em quarto por uma diferença inferior. Minha média, na faixa dos 36 km/h foi baixa e eu poderia ter feito mais. Eu poderia ter sido campeão e foi nessa etapa que eu perdi o título...

A terceira etapa foi cancelada. A equipe se defende na montanha, mas não somos especialistas. Poderíamos ter tomado mais tempo. O cancelamento foi providencial para quem era passista e sprinter (nossa característica principal), mas prejudicou escaladores. E estrada veio depois e era uma etapa longa, com 120 km basicamente planos. Andamos sempre em bloco e as fugas quase não existiam, pois o pelotão neutralizava. Com 40,5 de média, cheguei no bloco que veio compacto, onde apenas três atletas conseguiram se adiantar no final.


O quarto dia foi meu melhor dia. Tentei várias fugas (uma, no começo, quase deu certo), mas o pelotão neutralizava, até que faltando três voltas (9 km), consegui abrir e manter uma vantagem de 19 segundos e passar com vantagem a linha de chegada, para minha segunda vitória, sendo que ainda conseguimos colocar o Rodrigo em 4º no pódio desse dia.

O quarto lugar na geral teve gosto de vitória, pois entre os atletas, existe o reconhecimento de quem fez um bom trabalho. Todos os ciclistas estavam de parabéns, pois demonstraram ótimo condicionamento e elevado nível. A organização também foi excelente. Só temos a agradecer pela oportunidade e prestigiar a iniciativa da Federação Catarinense de Ciclismo em fazer uma Volta Master."


Maurício fez questão de enfatizar que o trabalho de Rodrigo Oliveira no pelotão foi muito importante e que o atleta também tem as mesmas condições de chegar junto no lugar mais alto do pódio. No entanto, como uma equipe, Rodrigo trabalhou para que seu companheiro, de forma a manter e ampliar a vantagem obtida na primeira etapa.




Nós, da Rodociclo, mais uma vez agradecemos aos nossos atletas pelos bons resultados e esperamos ter em breve mais notícias, divulgando e prestigiando o ciclismo competitivo e também, através dele, o uso da bicicleta.

As fotos desta matéria foram cedidas pelos atletas ou estão no site da Federação Catarinense de Ciclismo, onde é possível acompanhar a cobertura completa.

Nossas cordiais saudações aos atletas e leitores!

Equipe Rodociclo


Comentários