Taipei Cycle Show - A Rodociclo antecipa em primeira mão como foi uma das maiores feiras do mundo! (PARTE I)



Conforme mencionamos em uma postagem anterior, reservamos algumas novidades para nossos leitores, amigos e clientes. E chegou a hora de apresentá-las! Viemos através desta e das próximas postagens, trazer para você o que há de melhor no mundo da bicicleta, direto da fábrica, sem intermediários. As tendências, os novos modelos, as novas tecnologias, o que há de melhor em cada marca. Você antes tinha dúvida sobre um componente ou peça? Então leia os textos que seguirão e mude seu conceito sobre o que é de verdade uma grande marca e sobre o que se faz de renome ao redor do mundo. Bem vindo à A Taipei Cycle Show 2012!

 


A Rodociclo, além de ser uma empresa voltada para o comércio de bicicletas, peças e acessórios, também possui uma forte e íntima ligação com o mundo da bicicleta, não importando o segmento, seja no esporte ou no uso cotidiano da bicicleta como meio de transporte e lazer, mostrando que mais que uma paixão, a bicicleta tem um forte papel social na formação do indivíduo, além de inúmeros benefícios à coletividade. E assim sendo, resolvemos contar para você um pouco do que foi vivenciado neste evento, que também apresenta o que há de melhor em termos de produtos e os lançamentos de algumas das maiores marcas do planeta. Para tanto, fomos representados pelo Anderson, que foi o responsável pelo relato da viagem e pelas fotos, que são exclusivas!


Se compararmos a  Taipei Cycle Show com  a Bike Expo Brasil, (clique no link e confira), na qual também estivemos presentes no final do ano passado, podemos destacar que a principal diferença entre elas, além do tamanho, claro, é que a feira realizada em Taiwan era destinada a negócios (ponto comum entre ambas), porém em uma escala maior, permitindo um contato mais direto entre indústrias, importadores e alguns lojistas, já a Bike Expo Brasil era uma feira nacional que serviu para aproximar os atacadistas, representantes e importadores do lojista, que negocia diretamente com o consumidor final.

 
 
 
 
 

Desta forma, a nossa participação na feira de Taipei se deu, principalmente para ter acesso às novas tendências do mercado e também realizar alguns contatos, que futuramente deverão se consolidar em parcerias entre a Rodociclo e alguns grandes fabricantes. Este é outro ponto que merece ser enfatizado: os fabricantes estiveram presentes diretamente, e não seus representantes e importadores, logo, tivemos acesso a muita coisa que não costuma vir para o Brasil e também quebramos alguns mitos e preconceitos contra muitos produtos e marcas, já que fomos buscar essas informações na fonte.

 
 
 
 
 
 

Taipei Cycle Show ocorreu entre os dias 7 a 10 de março de 2012 e contou com a organização da Taiwan External Trade Development Council (TAITRA), uma organização sem fins lucrativos, fundada em 1970 com a finalidade de promover o comércio exterior, contando com o apoio do governo e associações industriais e comerciais tendo a finalidade de estimular a competitividade do mercado de Taiwan, diante dos desafios que se apresentam no mercado externo. Os números impressionam; foram 1.092 expositores divididos em 3.288 estandes. Obviamente que não conseguimos visitar todos, de modo que o foco foram as marcas mais conhecidas que habitualmente são importadas para o nosso mercado e os fabricantes que já possuem tradição na comercialização dos seus produtos no mercado nacional, além das grandes marcas mundiais. 


Acompanhe agora, através do relato do Anderson, um pouco do que foi vivenciado nestes quatro dias e alguma coisa do mundo oriental, sob a ótica de um inusitado visitante do ocidente. Nosso guia e porta voz foi o Sr. Bill, responsável pelas importações dos componentes da marca Vicini, que é um profundo conhecedor do mercado, tanto nacional como chinês, tendo ótimos contatos com diversos fabricantes de renome.

 
 

 
 
 

"Fiz a maior viagem da minha vida, meu relógio estava 11 horas adiantado e sono de cabeça para baixo. Finalmente chego em Taiwan, após uma escala no Rio de Janeiro e outra em Frankfurt na Alemanha (saí do Rio com 32° e chego na Alemanha com 4°). Quando estava no aeroporto, na Alemanha, pensei 'meu Deus aqueles alemães bebem de verdade', pois fiquei meia tarde no aeroporto aguardando o próximo vôo e  quando fui apreciar um café num "snack bar" notei que os alemães tomam cerveja para tudo, até em um simples bate papo ou com um sanduíche, como lanche da tarde, ou simplesmente para matar a sede. Deu até vontade de tomar uma com eles, mas não poderia cochilar depois, por isto desisti daquela tentação...

 
 
 
 
 


De volta ao avião para Hong Kong, começa a tortura das refeições. Arroz, legumes e um tipo de carne, porém com aquele tempero oriental totalmente diferente do paladar do sul brasileiro, principalmente. E eu não poderia reclamar, pois mais de 90% dos passageiros eram orientais. Quando o avião desceu a menos de 2000 pés de altitude, consegui visualizar os containers ao redor da ilha de Taiwan. A ilha fica a maior parte do ano com nuvens, sendo que dos cinco dias que fiquei lá, o sol não apareceu um minuto sequer.

 
 
 
 
 
 

Eram muitos "barquinhos" ancorados, o voo estava 15 min adiantado, por isto o avião teve que ficar ao redor da ilha, sobrevoando-a durante todo este tempo, até ser autorizado a pousar em Hong Kong. Fui para Taiwan finalmente, após mais uma hora e meia de viagem e aquele arroz com molho shoyu de novo... Mesmo assim respondia "xexe" (obrigado em mandarim). Temperatura agradável, graças a Deus tudo certo com o passaporte, enfim entrei no país e meu anfitrião estava lá, como combinado. O  Sr. Bill, da Vicini, uma de nossas importadoras nacionais, que seria meu guia durante minha estadia em Taiwan. A primeira parada foi em um lugar no meio de uma "free way", parecido com um mini shopping, para um café. Os chineses tomam café 'aos baldes', deve ser para abrir aqueles olhos semi cerrados...

A "PEQUENA" FÁBRICA DA TOKEN...

Ainda eram as minhas primeiras horas por aqui, eu me sentia zonzo, graças ao fuso horário. Mesmo assim, o Sr. Bill ele me levou numa fábrica de cubos que também monta rodas. Me impressionei com a forma que este povo trabalha. Trabalham de verdade! Além de observar que o horário já havia passado das 20h locais, e havia duas senhoras operando o maquinário além de garotos chineses. Um maquinário milionário de um taiwanês muito educado e simpático (curiosamente o povo oriental é muito simples, mesmo os mais abastados). Me senti dentro da V-Zan, porém, a produção dele é milionária!


No caminho, o Sr. Bill havia me dito que era uma fábrica pequena, mas não era nada pequena, possuía um grande estacionamento, assim como também sias instalações impressionavam. Lá, ele fabricava além de cubos pequenas peças para outras empresas como a tampa do K7 para a famosa Sram.

Alguns amigos seus estavam numa sala de espera no escritório fardados para uma pedalada noturna em Taiwan. Me deu vontade de pedir uma bike para ir junto com eles (imagina que show!!!), mas eu fui a trabalho... Parabéns a esta fabrica!!! Existem mais detalhes curiosos que prefiro não mencionar em respeito aos fornecedores do Brasil sobre os valores cobrados lá e como chegam aqui com marcas fortes que trabalham dia e noite por um povo que não dorme... 


Agora vamos ao mais interessante: a 'pequena' fábrica que visitei era da TOKEN, que para quem não sabe, fabrica cubos, rodas, peças e acessórios, tendo alguns dos seus modelos de rodas certificação pela UCI. A Token revolucionou os conceitos da indústria usando compostos de carbono, titânio, cerâmica e ligas de alumínio, provando que podem ser conjugados em componentes de ciclismo de alto desempenho. A empresa também faz cubos e peças para muitas outras marcas e também é responsável para fabricação dos cubos das rodas da Vicini (linha 2012). Portanto, quando muitas pessoas duvidam da qualidade, nós fomos lá, buscar a resposta a essa dúvida. A Token possui representante no Brasil. Clique aqui e confira!



Chegou a noite, o Sr Bill me leva a bar de rua, começa a verdadeira maratona de descobrir o que eu estava comendo... Mas o bar era extremamente carismático e, apesar de ser um boteco, tinha sinal Wireless. A maioria dos clientes conversava bem pouco devido ao uso massivo dos I-Phones.


Minha viagem continuaria no dia seguinte. O metro de Taiwan é sempre cheio, igual a qualquer lugar do mundo, porém mais limpo assim como toda a cidade, as pessoas são extremamente educadas com respeito ao lixo. Em qualquer lugar, se você joga uma semente de fruta pela janela do carro, o motorista de trás tira uma foto e envia para a polícia e você leva uma multa quando passar a próxima viatura parada na estrada. Uma boa forma de manter limpas as estradas e o governo aumenta seus cofres com uma boa ação...



Neste dia, começaria minha visita oficial à Taipei Cycle Show. Logo na entrada havia um corner circular com os produtos de maior destaque e realmente espantava, tanto que o titulo destes destacados era TAIWAN EXCELLENCE 2012... Era um prenúncio do que me aguardava lá dentro..."

Postamos algumas fotos entre os parágrafos desta postagem, mas acreditamos que você estará curioso para ver todas as fotos. Nós pretendemos contar um pouco de cada uma delas e alguns segredos que vão deixar os amantes do "high tech" com assunto por muito tempo. Tudo o que você está vendo aqui está mais próximo do seu alcance do que você imagina.

CLIQUE AQUI E VEJA TODAS AS FOTOS E NOS AGUARDE...

Este texto continua...
It's text to be continued...
這段文字仍在繼續 

Equipe Rodociclo

Comentários