Tour de France 2012: Bradley Wiggins comemora título e Cavendish ganha mais uma no Champs-Élysées


A vitória de Bradley Wiggins não foi nenhuma surpresa. Após 21 dias de prova e 3.479 km pedalando, ele, que foi o primeiro britânico a levar o título da tradicional prova, construiu sua vitória a partir da sétima etapa, quando vestiu a camisa amarela e não a tirou mais. Wiggins era um dos favoritos e pode-se dizer que foi uma vitória merecida, já que o britânico vem esperando por esse momento há muito tempo. Em 2011, abandonou após uma queda, onde também era favorito. Em 2010 foi 24º, em 2009, foi 4º. 


Mas diferente do ano passado, que vimos um Tour foi disputado etapa após etapa e até o final, a prova deste ano foi muito tranquila. Na edição anterior, tivemos muita disputa acirrada, muitos heróis como Thomas Voeckler, que surpreendia e resistia a cada etapa, Andy Schleck, que tentou tudo que pôde até o fim, Alberto Contador, desgastado do Giro, mas ainda assim lutando (e viria a perder seus títulos do Tour de 2010 e Giro de 2011 por suspeita de dopping) e Cadel Evans, que esteve sempre entre os primeiros e decidiu no contra-relógio, levando assim o título, muito merecido, devido ao retrospecto de muitas tentativas e insucessos por poucos segundos que vinha acumulando em anos anteriores. 

Cadel Evans tem pneu furado por tachinha na 14ª etapa do Tour de France

Neste ano, os poucos nomes que ameaçariam Wiggins não se mostraram à altura do título e nem da camisa amarela, que passou pelas mãos dele e de Cancellara apenas, que deteve a camisa de líder pelos seis primeiros dias. Após isso, a camisa amarela não saiu mais das mãos do britânico, que foi administrando e ampliando sua vantagem, sempre levado por Froome, seu colega de equipe e vice-campeão na geral. 

Evans, campeão de 2011, mostrou estar longe da sua melhor forma, teve problemas mecânicos em algumas etapas, imagens estas que marcaram sua participação no Tour, ficando em sétimo, com 15 min. e 49 seg. atrás do campeão. Muito tempo para quem por anos andou muito perto do título e foi o campeão no ano anterior. Nibali ficou em terceiro, há mais de seis minutos, também muito tempo. Outros grandes ciclistas, apesar de triunfarem em etapas, como Alejandro Valverde, não foram fortes e nem regulares o bastante para ameaçar o Camisa Amarela. Vencer o Tour significa ser o mais regular, o mais completo, andar bem tanto em etapas planas, como em contra-relógios, e acima de tudo vencer as montanhas!



Passadas as montanhas, o campeão seguiu no Tour com uma vantagem confortável, seguido por um colega de equipe que não o ameaçaria e tendo pela frente um contra-relógio, onde era favorito e como se previa, venceu com ampla vantagem, (tendo mais uma vez Christopher Froome em segundo) e deixando os adversários para trás. 

Há cerca de dois anos, li uma matéria sobre Wiggins, que tem na carreira um retrospecto de vitórias, inclusive foi campeão olímpico de pista. Vindo de um estilo diferente, mudou seu biotipo, sua forma de pedalar, foi se especializando em outras modalidades (como contra-relógio) e nas montanhas, também era visto como uma promessa, devido ao seu grande talento e perseverança. Então, mesmo que não tenhamos tido toda a emoção que esperávamos, que dá mais brilho ao espetáculo, ainda assim, podemos afirmar que o título deste Tour foi parar em boas mãos e premiou a dedicação de anos de um verdadeiro campeão. 

Evans, apesar de ser especialisata na modalidade, andou mal e caiu na classificação.  Era a certeza do título de Wiggins. Apoiado por uma forte equipe, a Sky mostrou porque era forte. Dominou o pelotão e levou seu líder ao título. Tinha consigo também um dos melhores, senão o melhor sprinter do mundo, o atual campeão mundial Mark Cavendish, que também não decepcionou.

Bradley Wiggins vence 19ª etapa do Tour de France 2012


Tour de France 2012 encerra em Paris




"Cav" venceu a segunda, a antepenúltima e também a última. Com isso, a Sky dominou as últimas etapas do Tour. O último dia foi um desfile, onde a decisão foi mesmo no circuíto junto ao Champs-Élysées. Lá, Cavendish, que detinha três vitórias e vinha embalado pelo sucesso de sua equipe e pela vitória dois dias antes, tentaria vencer pelo quarto ano seguido. E foi isso que vimos. Mais que isso, vimos ninguém menos que Bradley Wiggins embalar a chegada para a vitória de Cav! 

Mark Cavendish vence última etapa do Tour de France 2012




Mesmo que a Radioshak tenha sido a equipe com o melhor tempo, a mais forte e mais bem articulada foi a Sky, que levou o título para casa e teve seus ciclistas andando na frente e faturando muitas vitórias. Cavendish ganhou três, Froome ganhou a sétima etapa e Wiggins a nona e décima nona. Seis no total. 

Pódio final do Tour de France 2012


A imagem da premiação, como sempre, foi muito bela. Sem muitas emoções na luta pelo título, as demais camisas foram vestidas com muita justiça pelo irreverente Peter Sagan, que fez um brilhante Tour e foi o campeão por pontos (foi segundo na chegada no Champs-Élysées). Thomas Voeckler, que venceu duas etapas, foi o campeão das montanhas, vestindo a camisa com bolas vermelhas, também foi um dos mais aguerridos e combativos do pelotão (como sempre) e a camisa branca (juventude) por Van Garderen Tejay, jovem americano de 24 anos que salvou a campanha da BMC. 

Ano que vem, esperamos o retorno de Andy Schleck, Alberto Contador e quem sabe, outros grandes nomes, ou mesmo a revelação de novos talentos. Dificilmente algum ciclista é campeão de uma das grandes voltas sem ter tentado a vitória anteriormente, mas muitos nomes vão sendo revelados ano após ano. A cada temporada, muitos diamantes são lapidados e moldados à dureza das montanhas, que no ciclismo mundial, mostra quem é realmente o mais forte não apenas por um dia, mas o mais regular ao longo de muitos dias. Estes nomes serão escritos na história de cada prova e do esporte.


SENTIMOS A FALTA DOS NOSSOS ATLETAS BRASILEIROS NA PROVA, 
MAS SAUDAMOS A VITÓRIA DE BRADLEY WIGGINS

CONGRATULATIONS!!!

EQUIPE RODOCICLO


Comentários