VUELTA A ESPAÑA 2014: VALVERDE VENCE E ASSUME A LIDERANÇA



Após seis etapas realizadas, nesta quinta, a Volta da Espanha teve sua primeira chegada em montanha. A vitória, como era de se esperar, veio das mãos, ou melhor, das pernas de um escalador. Alejandro Valverde, hoje aos 34 anos, desde que ingressou no ciclismo, mostrou muito talento em todos os tipos de provas. Destacou-se em grandes voltas, venceu clássicas, obteve boas colocações no campeonato Mundial (2º colocado em 2006), venceu a Volta da Espanha, prova que salvou seu ano após uma suspensão por dopping em 2009. Quando começou a mostrar seus primeiros resultados, ainda jovem, o espanhol mostrou ser uma joia a ser lapidada a ponto de se tornar um grande campeão.



Valverde vive um ótimo momento, está no auge de sua forma, unindo a força de um ciclista com base formada à experiência de anos dentro do pelotão profissional. Segundo estudos, o auge de um ciclista profissional ocorre entre os 28 e os 32 anos, quando ele desenvolve sua força, resistência física e desenvoltura mental para enfrentar as pressões e saber como se portar diante de provas extenuantes, como um Tour, um Giro ou uma Vuelta. No entanto, nomes como Jens Voigt, que encerrou sua carreira nesta temporada, aos 43 anos, ainda como um dos mais combativos do pelotão, mostram-se uma exceção à regra. E Valverde, aos 34 anos, vive uma de suas melhores temporadas. Atual campeão nacional de contra-relógio, obteve bons resultados em clássicas e foi quarto colocado no Tour de France, mostrando que é um ciclista completo em todas as modalidades. Talvez não tivesse obtido um resultado tão bom na França, onde foi beneficiado pela ausência (ou abandono) dos dois principais favoritos: Froome e Contador. E pelo desempenho que mostrou naquele momento, não teria ficado à altura deles.


Devido a isto, a "Vuelta", que normalmente não é disputada por ciclistas que deram tudo no Tour, (esse era o plano de Contador e Froome), acabou sendo a última esperança de algumas estrelas salvarem a sua temporada. Temos ainda Nairo Quintana, Joaquim Rodriguez e Fábio Aru disputando um lugar ao sol (ou ao pódio) entre os melhores das montanhas. E justamente, a sexta etapa, quando veio a primeira subida da competição, foi o momento em que Valverde mais uma vez se viu cara a cara com os principais adversários e favoritos ao título. Desta vez, ele não está só, tem ao seu lado Nairo Quintana, que figura como outro grande ícone das grandes voltas, após seu grande feito, nada menos que o Giro D'Itália deste ano. Agora já recuperado do desgaste de uma prova tão dura e longa, Quintana divide as apostas e as atenções dos expectadores, já que compete pela mesma equipe de Valverde e pode-se dizer que tem muitas condições de lutar pelo título, talvez em pé de igualdade ou mesmo vantagem sobre o espanhol!




E foi neste clima, que Valverde mostrou estar em um bom momento, atacou e venceu, para retomar a Camisa Vermelha de líder, que esteve em suas mãos na segunda etapa e foi perdida para Michael Mathews, vencedor da terceira etapa. Dali para diante, foi um show de sprints de Degenkolb, que ganhou a quarta e quinta etapas. Para vencer a sexta etapa, o ciclista da Movistar manteve-se forte, levou consigo seu companheiro Quintana e, no trecho final, respondeu aos ataques com propriedade, para então abrir pequena vantagem e vencer, retomando a liderança.




Mas ainda é muito cedo e como sabemos, foi só um pequeno teste, já que Froome (que sofreu nova queda na sétima etapa) e Contador não mostraram sua real condição física. Este último, uma verdadeira incógnita sobre seu real estado, apenas declarou que se sentiu bem após cruzar a chegada em terceiro, logo atrás de Froome e Valverde, alegando já sentir poucas dores após a fratura ocorrida no Tour.Com estes resultados, temos Valverde, Quintana, Contador e Froome nas quatro primeiras colocações, separados por uma diferença total de 20 segundos, seguidos por Johan Esteban Chaves Rubio e Rodriguez logo atrás. Este panorama não mudou na sétima etapa, vencida por Alessandro De Marchi, após uma fuga bem sucedida.



Resta agora ver, com a chegada de novas etapas de montanha, quem realmente estará mais forte e em condições de vestir e manter a Camisa Vermelha. Neste sábado, está prevista uma chegada no Sprint. Domingo, mais subida. As etapas consecutivas terão de tudo um pouco: contra-relógio, montanhas, circuíto, tudo culminando com a temida 14ª etapa, que terá rampas de até 24% de inclinação, uma dura chegada em montanha, tudo isso após mais de 200 km de pedal. Esta é a previsão da segunda semana desta "Vuelta".

OS 5 PRIMEIROS DA 7ª ETAPA
1 – Alessandro De Marchi (Ita) Cannondale 04:01:52
2 – Ryder Hesjedal (Can) Garmin-Sharp 00:01:34
3 – Hubert Dupont (Fra) AG2R La Mondiale 00:01:35
4 – Johann Tschopp (Sui) IAM Ciclismo m.t.
5 – Philippe Gilbert (Bel) BMC 00:02:17

OS 10 PRIMEIROS DA CLASSIFICAÇÃO GERAL
1 – Alejandro Valverde Belmonte (Esp) Movistar 26:52:20
2 – Nairo Alexander Quintana Rojas (Col) Movistar 00:00:15
3 – Alberto Contador Velasco (Spa) Tinkoff-Saxo 00:00:18
4 – Christopher Froome (GBR) Team Sky 00:00:20
5 – Johan Esteban Chaves Rubio (Col) Orica GreenEdge 00:00:41
6 – Joaquim Rodríguez Oliver (Esp) Katusha 00:00:45
7 – Robert Gesink (Hol) Belkin Pro Cycling Team 00:00:55
8 – Fabio Aru (Ita) Astana Pro Team 00:00:58
9 – Warren Barguil (Fra) Giant-Shimano 00:01:02
10 – Wilco Kelderman (Hol) Belkin Pro Cycling Team 00:01:06

Bom final de semana e bons pedais aos nossos leitores.

Equipe Rodociclo




Comentários