ALBERTO CONTADOR FATURA A VOLTA DA ESPANHA 2014, ENQUANTO VOIGHT TENTA RECORDE DA HORA ÀS VÉSPERAS DO MUNDIAL.



O título desta postagem relata uma notícia que com menos de uma semana, já ficou, digamos, "velha". Outros acontecimentos importantes no esporte nos próximos dias e deverão figurar em destaque nas manchetes. Mesmo assim, Alberto Contador ainda revive a glória da sua conquista, enquanto aproveita seus momentos de fama para prospectar seus resultados futuros e descansar. Ele que chegou a ser criticado na temporada passada por Oleg Tinkov (dono da equipe e seu patrocinador), agora é visto como um herói, talvez não pelo seu feito em si, ainda que memorável, mas por causa da forma como foi conquistado. Recuperando-se de forma precoce de uma lesão séria, que normalmente deveria mantê-lo fora das competições por um bom tempo e superando muitos limites, alguns estabelecidos pelos próprios médicos do atleta. 



Quem acompanha as provas de ciclismo, de certa forma, já sabia com antecedência o que aconteceria e como aconteceria (e aconteceu mesmo), nesta edição de 2014 da Volta da Espanha. E o ciclista que talvez fosse a maior incógnita quando o pelotão alinhou no primeiro dia, etapa após etapa foi se consolidando como o mais preparado para vestir, definitivamente, a camisa vermelha. Nós acompanhamos através de resumos informativos os momentos mais decisivos da prova, sendo que mal acabou a Vuelta, e todos os olhos já estão se voltando para o Mundial de ciclismo, que está às vésperas de ocorrer. 



Entre essa maratona de competições importantes, amanhã o alemão Jens Voigt tentará uma façanha que pode colocar seu nome na história do esporte. Ele deve tentar quebrar o recorde da hora, que atualmente pertence ao tcheco Ondrej Sosenka (49,7 km percorridos em uma hora). Voigt, que recentemente anunciou que está deixando o pelotão profissional, embora esteja ainda em grande forma, quer aproveitar o momento para encerrar sua carreira em grande estilo. Se conseguir estabelecer um novo recorde, fechará com chave de ouro seus anos de participação no pelotão profissional, onde mesmo aos 43 anos, ainda esbanja força e estilo, sendo conhecido como um dos mais combativos de todos. Dono de uma passada forte e um estilo ofensivo, o alemão quer deixar as competições enquanto ainda está em boa forma. Tanto sua despedida, como a tentativa de quebra do recorde da hora foram marcadas por bikes personalizadas, que seu patrocinador (Trek) preparou exclusivamente para estes momentos da carreira deste grande ciclista. Para quem desejar acompanhar, a UCI deve transmitir a tentativa da quebra do recorde, que deverá ser às 14 horas (horário de Brasília).

Já Contador, que deu a Specialized mais um grande título ao vencer a Volta da Espanha, declarou que não ira ao mundial, pois precisa descansar e deve voltar às provas em outubro, já tendo definido no seu calendário as provas que irá participar. De 21 a 28 deste mês, ocorrem as provas do Mundial de ciclismo (estrada e CRI), que serão realizadas em Ponferrada na Espanha. Lá, os melhores nomes do contra-relógio e das provas de estrada estarão presentes, dando tudo de si em busca do sonho da camisa com as cores do arco-íris, que simboliza o campeão mundial durante um ano, além de escrever seu nome na seleta lista de campeões, que é alimentada ao longo de décadas. 



É certo que hoje, talvez não seja mais tão "fácil" (se é que um dia foi) ser um super-campeão. Com toda a tecnologia e toda a especialização do ciclismo, é difícil um atleta se manter na ponta por muito tempo. Avançar alguns segundos ou até mesmo décimos pode ser muito difícil. Sempre estão surgindo novos talentos e a tendência é que o esporte se renove de forma muito rápida. Mesmo assim, algumas afirmações do atual campeão da Volta da Espanha externaram o seu desejo de tentar vencer as três grandes voltas em um ano (em 2008, venceu na Itália e na Espanha). No entanto, das três, certamente a mais desejada será o Tour de France do ano que vem, para o qual o ciclista certamente fará uma preparação muito específica. 

Alberto Contador, hoje aos 31 anos, é um dos, senão o maior nome entre os ciclistas de grandes voltas. Dono de grande potencial aeróbico e muita desenvoltura em escaladas, é nas montanhas que mostra sua força, lançando ataques que quase sempre deixam os adversários para trás e lhe rendem boa vantagem e vitórias em etapas, além do título geral das provas que participa. Especialista no contra-relógio, sua regularidade em todas as situações faz com que ele seja favorito em qualquer prova com etapas que participe, especialmente se for longa e tiver muitas montanhas, como é o caso das Três Grandes Voltas. Alberto Contador ainda tem muito a oferecer ao ciclismo mundial. E surgirão muitos adversários que tentarão medir forças com ele, o que enriquece e engrandece o esporte. 



Parabéns a Alberto Contador pelos seus feitos. Não vamos desmerecer os demais ciclistas. Froome, Valverde e Joaquim Rodriguez fizeram ótimas temporadas também. Nossos cumprimentos a Nairo Quintana, que foi campeão do Giro e Nibali, que chegou a Paris vestindo amarelo. E o que mais nos deixa feliz nessa nova geração de campeões é que os escândalos de dopping têm se ausentado das manchetes. Mesmo que o passado tenha condenado (ou suspenso) muitos atletas, cada um pagou seu preço e hoje, acredita-se que estão limpos, ajudando assim a manter limpo o nome do esporte que representam. Aqui no Brasil, o ciclismo não é tão aplaudido como na Europa, onde divide espaço de igual para igual com o futebol. E cada atleta deveria ter claro na sua mente e na sua vida, que mais que uma carreira vitoriosa, os grandes campeões são ídolos, que têm um legado a deixar para gerações inteiras. Um legado que deveria começar sendo exemplo de ética e transparência. É para se pensar...

Equipe Rodociclo

Comentários