DE BICICLETARIA A BIKE SHOP, UM MUNDO ALÉM DOS SEUS OLHOS.


A bicicleta é, sem dúvida, um dos maiores inventos da história da humanidade. No entanto, com a popularização dos veículos automotores, pelo menos em nosso país, ela foi relegada a um plano inferior. Sonho de todo o menino, que quando adulto projeta no carro um símbolo do seu sucesso pessoal e profissional, as "magrelas" tornam-se apenas mais um objeto que fica guardado na garagem e é lembrado com saudade pelos seus donos. Daí vem a famosa frase: "Quando eu era mais novo, eu pedalava muito!" 



Esse comportamento também se refletiu nas empresas que trabalhavam com manutenção. As populares "bicicletarias", atendiam normalmente o público do bairro, aquele senhor que usa sua bike para ir trabalhar, ir na padaria ou aquele garotinho que furou um pneu, quer um acessório, entre tantas outras demandas de menor vulto. Só que lá fora, no Velho Mundo, onde o ciclismo nasceu e é popular, onde a bicicleta é levada a sério e incorpora à vida do cidadão e de toda a sua família, a tenologia e a diversidade criaram um novo conceito em termos de lojas, que aos poucos vem se tornando mais popular no Brasil : o da Bike Shop.



A Bike Shop é mais moderna, com departamentos, vitrines, expositores. Uma loja que comercializa bicicletas, peças e acessórios, também presta assistência técnica, porém, atuando de forma muito mais ampla, com uma gama maior de produtos e serviços diferenciados, espaço mais amplo, que fazem com que ela se aproxime de uma loja de shopping mesmo, onde você encontra profissionais em diversos níveis, que irão lhe orientar na hora da compra ou contratação de um serviço.



A bike shop foge daquele conceito de bairro e, onde o trabalho quase sempre é artesanal e prestado diretamente pelo proprietário, entrando em um mundo mais amplo, muito próximo daquele que é vivenciado por qualquer empresa moderna. O trabalho é levado de forma mais técnica e o conhecimento necessário para atender uma clientela mais exigente é maior, o manuseio de materiais nobres e específicos exige experiência e, como toda empresa, a organização interna depende do trabalho de vários profissionais, em vários níveis, que nem sempre serão o atendente ou o mecânico que você está habituado a ver em uma bicicletaria.



Como toda empresa, existe um setor que trata de questões de cunho burocrático, como financeiro, contas a pagar, pedidos, contatos com fornecedores, garantias. O recebimento de mercadorias e toda a sua rotina recebem uma atenção especial. A oficina, mais ampla, exige um ferramental apropriado e que os materiais usados estejam sempre a disposição, pois o trabalho de vários mecânicos não pode ser interrompido e depende de toda uma estrutura que deve ser oferecida a eles.



Meu trabalho em uma Bike Shop, por exemplo, é alvo de questionamentos quase que diários. Os amigos agora já sabem, mas volta e meia uma pessoa que sabe que trabalho em uma loja de bicicletas me pergunta: "Se tu não e mecânico e nem vendedor, o que tu faz la mesmo?" Mas basta você chegar aqui na loja para perceber que, por trás de cada vitrine, de cada departamento, existe um trabalho silencioso acontecendo, para que você seja sempre bem atendido e se sinta à vontade quando vier até a loja. Este é o objetivo: deixar o cliente à vontade. E diante da grande variedade que trabalhamos, manter os dois andares de loja mais a oficina sempre funcionando não são uma tarefa fácil.



Por ser uma empresa de pequeno porte, mas ainda assim, uma empresa, fora mecânicos e vendedores, nem sempre podemos ter uma função específica. Temos uma pessoa que cuida do caixa e do vestuário. Temos pessoas envolvidas no trato administrativo. Como trabalhamos com muitos produtos importados, os fornecedores normalmente encontram-se em outros estados e diante da variedade de produtos que são comercializados, comprar nem sempre é uma tarefa fácil. Há algum tempo, fizemos um inventário interno que catalogou mais de 12 mil itens, desde vestuário, bicicletas, peças para montagem e itens de oficina, como parafusos e arruelas de vários tamanhos. Só pneus, eram "apenas" 127 modelos!



Manter essa demanda atualizada, catalogada e organizada não é fácil. A comercialização de alguns componentes depende de outros. Não se vende cassete de 9 velocidades sem corrente. Pneus precisam de câmaras. Quadros precisam de garfos e suspensões, movimentos centrais, de direção, muitos dos quais específicos. Inciado o processo de compra, vem toda a negociação com o fornecedor, pesquisa de preços, frete, impostos, alguns pagos antecipadamente e também a parte contábil e fiscal, que se não tratada da forma correta, pode acarretar prejuízos para a empresa. Tudo para que a mercadoria chegue a você em condições e com a garantia do melhor preço!



Quando a mercadoria chega (às vezes chega tudo junto), é aquela correria. Conferir, fazer preço, organizar as notas fiscais, boletos (porque além de vender, temos que pagar as contas), colocar a mercadoria no sistema, etiquetar com preços, expor na loja e armazenar. Tudo isso está ocorrendo enquanto você está namorando as vitrines e saboreando o incomparável café da nossa colega Fátima, que trabalha atendendo, repondo vestuário e cuidando de pequenos detalhes nas vitrines.



Os vendedores têm que solicitar as mercadorias e repor as mesmas nas vitrines, pois eles, melhor que ninguém, têm conhecimento e bom gosto para isso. Apaixonados por bike, cada um transmite na hora da venda a sua percepção prática do mundo da bike. Alguns andam de speed, outros, na trilha, outros em longa distância. Às vezes um ajuda o outro e na troca de experiências, quem ganha é o cliente.



Além da excelência no atendimento, um dos focos da nossa loja sempre foi a variedade. Ao invés de trabalhar com algumas marcas fechadas, como uma grife, a proposta é, justamente variedade, confrontar a marca, a qualidade e o preço de cada produto diante do cliente. Cada produto tem seu valor, seu diferencial e o cliente é que escolhe, sempre orientado pelo vendedor, o melhor produto para as suas necessidades.


Oficina qualificada é outra necessidade. Os mecânicos mexem em bicicletas de R$ 600,00 até mais de 20 mil... Peças importadas, exclusivas, onde não pode haver dúvida ou erro. Por isso, o constante investimento em treinamento, especialmente para a linha Shimano, cuja loja representa através do nome "Service Center". Trabalhar com marcas como Specialized também é um diferencial que exige muito. Conhecer o conceito da marca, estar por dentro das novidades, atualizações e tendências e fundamental. E no segmento de bicicletas, diante de toda a variedade de produtos e informações, só vende quem conhece.



Fora isso, existem todo um trabalho de relacionamento com o consumidor pela mídia. Internet, facebook, webpage, e-mail, mídias sociais, publicidade em geral são pontos preponderantes para que a merca se torne conhecida e popular. Esse trabalho todo, somado à parceria constante com marcas de vanguarda, conceituadas pelo cliente, são a melhor receita para o sucesso.



Então, quando você entrar na nossa loja e não ver aquela pessoa que você conhece, mesmo que ela não esteja ali para lhe atender, tenha certeza que pelo menos uma parte do trabalho dela estará ali. Em tudo é assim. Afinal, "nem sempre o essencial é visível aos olhos"...



As fotos desta postagem ilustram bem este pensamento. Em meio às fotos da Brasil Cycle Fair, algumas imagens aqui da nossa loja. Fotos sem pose, sem nenhum tratamento, que refletem o trabalho diário da nossa equipe e também alguns momentos de lazer.



*Nestes dias que o Blog esteve sem postagens, estávamos recebendo os pedidos da Brasil Cycle Fair 2014. Foram muitos pedidos e novidades. Novas linhas Shimano, muitas peças coloridas da MOB, novas bikes da Specialized 2015, pneus Maxxis, Schwalbe e Continental, novos quadros da Mosso, muitas linhas novas de vestuário, sapatilhas em promoção (linha Scott), os coloridos leves da linha KCNC, bicicletas fixas multicoloridas, além de uma infinidade de peças de montagem, como manoplas, selins das mais diversas marcas, guidões, avanços entre outros. Nos visite e confira!

Equipe Rodociclo

Comentários