SHANGAI CYCLE FAIR 2017 – IT’S CRAZY!

SHANGAI CYCLE FAIR 2017 – IT’S CRAZY!



No começo deste mês de maio, ocorreu em Shangai, na China, mais uma edição da SHANGAI CYCLE FAIR 2017, que depois de Taipei Cycle Show em 2012, é a segunda feira internacional que conta com a visita de um representante da Rodociclo. Neste ano, a convite (e boa companhia) de um grande importador do Sul do pais, estive presente na maior feira de bicicletas e principalmente suas partes, pecas e acessórios. Nesta matéria exclusiva para o Blog Rodociclo, segue uma cobertura completa do que foi esta feira de uma forma espetacular com muitas imagens e videos (aguardem nossas próximas postagens), onde alem de visitar a feira nota-se costumes muito diferentes do nosso pais, por exemplo o melhor presente de lembrança para os clientes era o cha ou “TEE” (a pronuncia e TI). 




  
O mais impressionante é a forma dos chineses negociarem, com poucas tabelas de preços, eles calculavam em nossa frente um milhão de dígitos, sem tabelas com preços finais, faziam a maioria de cabeça, sempre calculando o desconto de acordo com a quantidade, depois a conversão do RMB (a moeda chinesa) para o dólar e ainda davam mais uma "ajustadinha" quando descobriam o valor em dólar. O arredondamento poderia ser para baixo ou para cima, não sabíamos. Mas a maioria das vezes era uma boa negociação para ambos os lados. Muito honestos com os produtos, na grande maioria nos falavam quando o produto era desenvolvido com características para o mercado europeu, portanto devido a um detalhe de sublime refinamento se tornava muito caro para nós brasileiros. Claro, que se você pergunta se o produto é bom, vai ouvir “xiè xiè” (obrigado, pode confiar), mas estávamos lá podendo pegar na mão e ver de perto a qualidade, características e as vezes até testar. 


Algo que observei durante os jantares e nas reuniões rápidas que fazíamos era as grandes marcas consumindo o mesmo produto que estávamos atrás com a marca própria claro. Era uma pergunta bem comum da parte deles: "Com sua marca ou a nossa?..." Alguns falavam que inclusive não faziam a marca própria, era obrigado a ter sua marca. Aí é q entra o grande MARKETING das marcas, pois encontrei os maiores compradores das grandes marcas importadas e nacionais, não fiquei procurando, eles estavam sempre ao redor. E entre eles: SPECIALIZED, CUBE, CANNONDALE, TREK, FOCUS, SERFAS, BIANCHI, SCOTT, CALOI, SENSE, ELLEVEN, OGGI, AUDAX, KODE, etc...


  
Todos lá descaracterizados, mas correndo nestes quatro dias muito loucos, pois se você se prepara, consegue analisar muitos itens nos DEZ MIL METROS QUADRADOS separados em quatro setores, mas isto somente se você seguir a agenda na ponta da linha e com o mapa na mão demarcado, pois é muita coisa a ser visto em tão pouco tempo. Outro detalhe ao qual ficamos presos foi o horário determinado pelos organizadores, iniciava as nove da manhã e encerrava as cindo da tarde! Imagine, um mundo de acessórios e cinco minutos para ver cada um...No último dia houve um porém, eles iniciam fechando alguns stands durante o atendimento, pois o último dia é quase morto, não davam muita atenção, pois queriam guardar tudo antes das cinco! Isto foi bizarro... 






Mas voltando ao que interessa, estávamos na Disneylândia das bicicletas, onde havia de tudo para todos os gostos e bolsos. A princípio fui muito cético com respeito a qualidade dos produtos, mas ficou evidente que eles mesmos já notaram que a procura por qualquer produto, exige uma qualidade mínima, isto ficou evidente em noventa por cento dos fabricantes.  
  
Eles queriam mostrar na sua maioria, bons produtos com um design inovador e boa a ótima qualidade. Correndo aqui e ali descobrimos muitas novidades conhecidas dos especuladores de sites internacionais, que irão fornecer agora para o Brasil com a marca do importador nacional. Grandes marcas já conhecidas no Brasil como as famosas bombas AirAce marcaram presença, a vendedora estava com novidades atendendo vários clientes ao mesmo tempo...








A famosa e mundialmente conhecida marca de pneus Kenda continua mostrando já por muito tempo como se faz um produto com qualidade e preços marcantes, tem uma força expressiva assim como a CST, outra gigante na área de borracha para bicicletas que compartilha a desejada marca Maxxis que desenvolve os pneus de competição. 



Aqui a concentração na hora de colocar um pedido, sempre preocupados com, obviamente, o preço de cada item e o melhor aproveitamento do espaço de um container. Figura muito carismática, o proprietário da Power e agora também dos freios hidráulicos Cstar, nos convidou para um jantar em um belo restaurante asiático, onde ele estava virado só em sorrisos, pois havia fechado parceria com uma gigante de bicicletas que trabalhamos aqui no Brasil, que pediu para não comentar o nome... Também vimos Suspensões Suntour, Zoom, Rock Shox, Manitou, Fox, Mozo, dentre outras, com lançamentos e personalização a gosto, pesos e preços para todos os bolsos...




A simpática e tímida vendedora da SuperB ferramentas ficou feliz com a visita e negociação, mas na hora que pedimos para tirar uma foto, ela mostrou os traços orientais, quase morreu de vergonha e o seu gerente de vendas teve que falar em mandarim com ela para tirar a foto. Aliás, lembrei de algo importante na China, que é similar ao Brasil, a maioria dos cidadãos chineses não falam inglês. Isto foi um choque, porque ali do lado, na pequena Taiwan, você fala em inglês com qualquer cidadão na rua.



As correntes KMC estavam com um stand muito bem apresentado, inclusive deixando claro que eles fabricam as correntes da gigante nipônica Shimano, portanto se você tinha alguma dúvida sobre a qualidade de uma KMC, pode acreditar eles sabem o que fazem há anos. Encontramos outros bons fabricantes de correntes como a PYC e a Yaban (YBN), que estão acompanhando o mercado mundial e trazendo a evolução do número de marchas (6s, 7/8s, 9s, 10s, 11s, 12s). O mais curioso é a tática que a KMC criou para um produto mais destinado ao mercado europeu, uma única corrente que serve para qualquer bicicleta com marchas ou seja de 7 a 12 marchas, um único produto. Parabéns a esta tecnologia. No Brasil ainda é caro...



O que não faltou foi fábrica de quadros de alumínio e carbono. Chegou a ficar engraçado, pois os tradicionais exigiam que fôssemos visitar a fábrica para atestar o processo de fabricação e qualidade. Realmente, chega a pintar uma dúvida que ficou fácil de decidir pelo design do quadro, que foi a gota d'água, pois quadros com desenho tradicional foram descartados e concentramos nos melhores designers.  




  
Ficamos espantados com a variedade nas bicicletas retros, havia muitas para escolher e na sua maioria com design inovador, com muito estilo e detalhes impecáveis, um produto legitimamente desenvolvido para o mercado europeu, mas que com certeza este vamos poder usufruir por aqui... 

Preparem-se! A ELLEVEN agora vai entrar de vez aqui no mercado brasileiro com uma linha de acessórios de altíssima qualidade com preços competitivos. Outros itens que não podem faltar em nossas bikes, com uma linha exclusiva de bolsas de selim, bolsas de celular, alforges, mochilas de recarga solar, capacetes com sinalizador no casco, piscas, faróis e óculos polarizados e fotocromáticos. Inclusive encontramos a lente PRIZM para um óculos com um valor mais agregado, porém muito abaixo de um preço Oakley. 



Esta seção foi um show, encontramos o fabricante de brasões dos quadros, onde em alguns meses receberemos aqui na Rodociclo, nossos clientes serão presenteados com nosso brasão próprio para acoplar em sua bike ou onde quiser.
  




E obviamente que as grandes marcas de componentes não poderiam faltar neste festival, passamos correndo nos stands da SRAM, SHIMANO, CAMPAGNOLO, SUNRACE, MICROSHIFT e SUNRUN, esta última marca mencionada foi um destaque, pois está preparada agora para bater de frente com componentes de entrada em relação de marchas ou câmbios, com conjuntos de básicos de rapid fires de 7, 8, 9 e 10 velocidades, seja duplo ou triplo, MTB e Road.





O stand da Shimano estava absolutamente lotado todos os dias, era algo descomunal, mesmo tendo surgido inúmeros fabricantes de câmbios e partes, ainda assim eles mostraram que dominam a preferencia mundial!

Não resisti à tentação de testar um rolo livre eletrônico, algo sensacional, cujo atendente ficou ainda mais feliz em descobrir que algum comprador sabia andar nos aparelhos. O pessoal que passava sempre dá uma paradinha para observar se o usuário não “vai comprar um terreno”, mas fiz bonito e não caí.

Os produtos destinado a linha infantil, como carrinhos e bicicletas infantis, eram outro setor marcante, com uma vasta quadra repleta de itens e muitas opções de modelos cores. O setor de vestuário era também impressionante. Encontrei ótimas fábricas de roupas que prestam a terceirização as grandes marcas conhecidas, inclusive atendendo a própria Itália!








Agora, o gosto por cores e o próprio traço das roupas deve ser desenvolvido no próprio país, enviando desenho pronto para a fábrica, inclusive delineando o número da cor de acordo com um padrão internacional, pois o que é bonito para o chinês, é de mau gosto para o brasileiro. Claro que eles pensam o mesmo a nosso respeito...
     
Uma paradinha aqui, não resisti em mostrar isto, este é o vaso do povo chinês em lugares públicos. É isto mesmo, acocado, segura na barra de ferro e reza... Na verdade, em empresas esta idéia é sensacional, pois desta forma, você não fica sentadinho no vaso ocidental usando o celular no banheiro para matar tempo...  
    



A marca bem conhecida no Brasil de bombas Beto colocou um stand central e lançou inúmeros produtos inovadores. Fazendo outra observação sobre a cultura chinesa que chama a atenção: a concentração deles no trabalho. Eles literalmente não param, e querem fazer tudo rápido, claro que nem sempre era bom isto. No transito e no metrô eles não fazem fila e andam em qualquer faixa que houver um espaço. As bicicletas e motos elétricas andam nas calçadas e até na contramão! 



Algo curioso foi a decisão do governo chines alguns anos atras: simplesmente do dia para a noite anunciaram que não haveria mais motos a gasolina no país! Imagine, dez milhões de motos no lixo! Mas as motos elétricas realmente são melhores, não fazem barulho, poluem bem menos e são mais baratas, sorte deles, azar da Honda...
                   




Nos pedais em alumínio da concorrente taiwanesa Xpedo, faltou um pouco de criatividade na marca, pois se chama Mpedo, inclusive o dono da fábrica brincou comigo dizendo que “lá em Taiwan é a Xpedo e aqui na China é a Mpedo, ponto final”. O mais importante é que não faltou qualidade, vão chegar por aqui em breve.


   
A Topeak estava com um stand exuberante, na verdade é um conglomerado de fabricantes de alto nível com uma marca de presença.
    
Foi muito show ver a tecnologia dos adesivos de aplicação nos quadros de todas as marcas, pois é uma fábrica de Taiwan que domina esta área e faz por mérito. Eles criaram uma biblioteca que quando você passava, dava a nítida impressão de que os livros estavam ali. Um papel de parede perfeito e quando aplica o verniz por cima, parece que foi pintado no próprio quadro.
          


Assim como a Merida conhecida aqui no Brasil, existem muito mais marcas legitimamente asiáticas de qualidade acima de dúvidas, como é o caso da Foxter e de outras marcas que seguem nas fotos em sequencia, com bikes de nível top que em breve vão estar aqui também pelo custo benefício ser muito mais atrativo do que pagarmos por um nome. Claro que se você pode andar de Ferrari, porque vai comprar um carro popular...

No final encontramos beldades na linha clássica, atraentes e exclusivas, por um valor justo, "xië-xië". Enfim foi uma experiencia exuberante, bela e marcante, ver que a China caiu em cima de qualidade na sua maioria.  E cheguei na hora certa para ver com meus próprios olhos esta transformação. A cidade de Shangai é do tamanho de São Paulo, um lugar que merece ser visitado.

Como em grandes cidades coisas positivas e negativas. O povo não gosta de fazer fila, fumam em qualquer lugar, jogam  lixo na calçada, mas exibem características únicas, como a paciência em qualquer lugar, o ato de ajudar uns aos outros e respeitar o próximo e o que não é seu... 






Na People Square de Shangai existem muitos Shopping Centers, mas o divertido é visitar as lojas Fake, com produtos de qualidade com “Marca”, é uma experiencia assustadora, pois eles entram com você dentro de uma loja qualquer, te levam no fundo da loja e abrem uma porta falsa e aí você sobe uma escadinha de madeira mal assombrada e a surpresa, você esta dentro de uma loja pequena de tudo que possa imaginar. Os eletrônicos e brinquedos são mais baratos nas galerias também...

O mais gostoso foi a comida chinesa, nem pensar em MC Lanche Feliz, comi só a gastronomia típica chinesa, mas confesso, que saudade de arroz e feijão. Na volta, meu voo fez uma escala em Hong Kong, onde as lojas eram algo realmente belo, só com as marcas famosas de grifes e redes internacionais, mas de uma forma "hollyoodiana", belo é pouco.
Fica a dica, especialmente para mulheres: indo à China, se puder de uma passadinha em Hong Kong!

Aguardem o link com todas as fotos desta viagem!

Equipe Rodociclo



Comentários